“Mercado imobiliário é sazonal”, destaca diretor da Moura Dubeux

A desaceleração da economia fez com que as construtoras reduzissem o ritmo dos lançamentos

Fernando Amorim:  “Baixo número de lançamentos de imóveis não representa prejuízo”  Foto: Heracles Dantas
Fernando Amorim: “Baixo número de lançamentos de imóveis não representa prejuízo” Foto: Heracles Dantas

Com menos imóveis lançados nos últimos dois anos, o mercado imobiliário em Natal vem sofrendo uma retração de abrangência nacional. Entretanto, essa retração, que está impactando diretamente o número de imóveis vendidos, não significa prejuízo para construtoras. Segundo o diretor regional da Moura Dubeux, Fernando Amorim, esse cenário apenas aponta o quanto o mercado imobiliário é “sazonal”.

“O baixo número de lançamentos de imóveis não representa prejuízo. O mercado sofreu essa retração em função da desaceleração da economia no país, mas certamente irá se recuperar. Nosso mercado é sazonal. Entre os anos de 2015 e 2016, veremos um salto no preço dos imóveis, principalmente nos residenciais, os quais têm maior demanda”, afirmou.

Segundo explicou Amorim, entre 2010 e 2012 Natal recebeu vários lançamentos de novos empreendimentos, mas a desaceleração da economia fez com que as construtoras reduzissem o ritmo dos lançamentos. Naturalmente, a oferta de imóveis novos que era alta, passou a cair nos últimos dois anos, levando também à diminuição do número de vendas.

“Agora, com menos imóveis lançados, o preço consequentemente tende a subir e isso é positivo para as construtoras. É chegado o momento de novos projetos serem apresentados e o mercado imobiliário voltar a se estabilizar”, afirmou Fernando Amorim. “Nós da Moura Dubeux estamos muito animados. A empresa tem 30 anos de fundação e sete de atuação em Natal. Cada ano que passa vamos lançando novos empreendimentos e nos fixando cada vez mais na capital potiguar”, destacou.

Nos últimos quatro anos, a receita operacional da construtora cresceu 70%, saltando de R$ 648 milhões, em 2010, para R$ 1,1 bilhão, em 2013. E os novos investimentos, ao contrário do que se imagina, não cessaram: até o final de 2014, será investido o total de R$ 1,3 bilhão em empreendimentos. Com isso, a incorporadora se consolida como uma das maiores do Brasil, estando presente também nos estados de Pernambuco, Bahia, Alagoas, Ceará e Paraíba.

“Quando o produto é bom e a construtora faz seu serviço com qualidade, mostrando um diferencial, ele tem seu espaço no mercado, atraindo a preferência do consumidor. Nós temos o foco e respeito ao cliente, garantindo o cumprimento dos prazos, e o melhor preço para padrão de moradia. Por isso sabemos que não iremos lidar com prejuízos”, afirmou o diretor regional da Moura Dubeux.

Em sete anos na capital potiguar, a construtora já lançou 26 empreendimentos, dos quais 15 edifícios já foram entregues e 11 estão em fase de execução das obras. Para Fernando Amorim, este é o momento ideal para se adquirir imóveis. “O consumidor que se segurou nos últimos meses para adquirir seu imóvel, deve se concentrar neste momento para efetivar a compra. “Ainda há muitos projetos nas ruas, com preços justos e facilidade de pagamento. Esse é o momento. “A partir do próximo ano, os preços irão ter um salto acima da inflação”, afirmou.

Compartilhar:
    Publicidade