Mesa da Solidariedade pretende beneficiar 3 mil famílias do RN

Programa tem objetivo de combater desperdícios de alimentos

A Mesa da Solidariedade foi criada com o objetivo de arrecadação e seleção dos produtos alimentícios doados pelos permissionários da Ceasa. Foto: Divulgação
A Mesa da Solidariedade foi criada com o objetivo de arrecadação e seleção dos produtos alimentícios doados pelos permissionários da Ceasa. Foto: Divulgação

Com a missão de sensibilizar e mobilizar os empresários e permissionários da Ceasa, sobre os desperdícios de produtos alimentícios que por algum motivo não podem ser comercializados pelos seus estabelecimentos comerciais, a Mesa da Solidariedade, realiza diariamente uma coleta de alimentos em condições nutricionais favoráveis ao consumo humano, que depois de selecionados e classificados, possam ser distribuídos gratuitamente às famílias de vulnerabilidade social e a instituições não governamentais de Natal. Atualmente, são atendidas 1.110 famílias, mas o desafio para o próximo ano é aumentar este número para, pelo menos, três mil.
A Mesa da Solidariedade foi criada com o objetivo de arrecadação e seleção dos produtos alimentícios doados pelos permissionários da Ceasa para confecção de Kits para distribuição às famílias carentes. A Mesa possui áreas de manipulação de alimentos perecíveis e não perecíveis, área de armazenamento em temperatura ambiente e controlada. Estes Kits, cada um com um peso estimado entre 10 a 13 quilos, são formados por frutas, legumes, verduras, hortaliças e gêneros alimentícios conforme as doações recebidas diariamente pelos estabelecimentos comerciais da Ceasa.

O coordenador da Mesa da Solidariedade, Veridiano Leocádio, explicou que o programa surgiu em 2003, como forma de solucionar uns dos problemas enfrentados pela Ceasa-RN, o desperdício de alimentos e a organização do trabalho dos catadores que circulavam pela área. Partindo desta idéia, a direção da Central com o apoio do Governo do Estado, transformou o que era problema em um trabalho de solidariedade: o que antes era desperdício tornou-se uma ação social de combate à fome.

Para o funcionamento, o programa conta com vinte jovens estagiários, que são responsáveis pela arrecadação, seleção e preparo dos kits de alimentos entregues às famílias e instituições, conforme as orientações da nutricionista e o cadastro das famílias beneficiadas realizado pelas assistentes sociais.

Veridiano Leocádio disse que o desafio para o próximo ano é atrair novos parceiros – hoje a doação é feita apenas pelos permissionários do Ceasa -, a fim de ampliar o número de famílias beneficiadas, saltando dos atuais 1.110 para mais de três mil famílias. Além das famílias beneficiadas de forma direta, aquelas que vão buscar o kit uma vez por semana na Ceasa, o programa também colabora com doações a instituições filantrópicas, como a Liga de Combate ao Câncer, Instituto dos Cegos e o Grupo de Apoio à Criança com Câncer. Ao todo, são 30 instituições beneficiadas.

Além disso, Veridiano conta que vai lutar para convencer o Governo Federal para fazer uma parceria através da Compra Direta para ampliar o número de famílias beneficiadas com a Mesa da Solidariedade. A Mesa possui uma equipe formada por assistente administrativo, assistente social, nutricionista, estagiário em Nutrição, bem como dispõe de veículos e caixas próprias para o recolhimento das doações que podem ser retiradas no dia e horário que os doadores solicitarem.

Compartilhar: