Mesmo com restrição eleitoral, concurseiros seguem em ritmo puxado nos estudos

Rotina pesada de estudos é caminho assegurado por eles para alcançar a estabilidade financeira

Foto: José Aldenir
Foto: José Aldenir

Três meses antes das eleições de outubro, os governos federal estadual ficam limitados na convocação de concursado. Mas essa limitação legal não impede nem desanima os concurseiros, aqueles que dedicam um período da vida para estudar até chegar a uma boa posição no serviço público.

Esse é o caso da enfermeira Carla Medeiros de 35 anos. Se a rotina para quem está solteiro já estafante, a de quem tem que dividir a atenção entre as apostilhas e família é potencializada. Carla tem dois filhos (um de nove e outro de 15 anos) e é casada.

Apesar da recomendação de sempre revisar o conteúdo em casa, a enfermeira concentra seus estudos no cursinho com as aulas nas salas de aula e estudo na biblioteca do estabelecimento. Mesmo assim, são cerca de seis a oito horas voltada para os estudos. Ele prefere estudar fora, porque quando está dentro de casa só tem tempo para afazeres domésticos e resolver algumas questões de provas, um treino essencial para o dia “D”.

Já são quatro anos de dedicação aos estudos para concurso público. No entanto, só em novembro do ano passado a enfermeira intensificou o ritmo com vistas ao concurso da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A empresa realizou um concurso para as unidades de saúde que gerencia (Hospital Onofre Lopes, Maternidade Escola Januário Cicco e Hospital Universitário Ana Bezerra em Santa Cruz).

Foram reservadas 21 vagas para enfermeira assistencial na Maternidade. Depois da prova de títulos, Carla Medeiros conseguiu o 36º lugar. “Na minha frente tem umas 20 pessoas que também passaram no Onofre Lopes. Pelo menos uns cinco que conheço vão optar pelo Huol, até porque lá não dá pra acumular por causa da carga horária”, disse cheia de esperança.

Mas a luta dela continua, uma vez que a sua convocação ainda é uma incerteza. Enquanto não é chamada para a Maternidade Januário Cicco, ela já começou a se preparar para o concurso da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap). Mas não perde a esperança de ser chamada pela Maternidade. “Eu tenho fé em Deus que vou ser chamada”, falou.

Mudança de rotina

As quase oito horas dedicadas aos estudos acabam por afetar o relacionamento dentro de casa, tanto com os filhos como o marido. “Eles me cobram muito”, contou a enfermeira Carla Medeiros. “Mas não pode desistir não. A gente acaba vencendo pelo cansaço. Quem não desiste um dia passa”, acredita.

As mudanças na rotina foram tão profundas que o marido a confronta dizendo que a concurseira foi parar em outro mundo. “Você não tem mais amigo. Você muda a alimentação porque você passa o dia na biblioteca ou no cursinho. A família fica com muita raiva. Meu marido diz ‘você tem que começar a viver no mundo da gente'”, contou.

No entanto, ela está convencida que este é o caminho para ter sucesso profissional e segurança para o resto da vida. “Quem quer segurança estabilidade não tem outra solução. Conheço pessoas que abriram mão de empregos na iniciativa privada com salário até maior que no serviço publico porque sabe que aquele ali é certo”, afirmou.

Restrições

As limitações impostas pela lei 9.504/97 não se configuram como razão para dar uma pausa nos estudos. Até porque o lançamento de concursos ainda pode ser feito. Mas a lei prevê para concursos homologados três meses antes do dia da eleição, a nomeação pode ser feita a qualquer tempo.

Nas situações em que concursos homologados dentro do período de três meses, a nomeação ou contração (de empresas públicas ou de economia mista) só pode ocorrer depois da posse dos eleitos no ano seguinte. Convém lembrar que a restrição diz respeito à esfera estadual e federal neste ano. De todo modo, há exceções para tais regras.

Para a coordenação de um cursinho voltado para concursos de Natal, essa limitação não foi motivo para a redução do número de pessoas a procura de cursos. No entanto, a Copa do Mundo deu uma parada no fluxo de concurseiros.

Compartilhar:
    Publicidade