Mexicanos presos em Fortaleza podem pegar 8 anos de reclusão

Grupo assediou esposa de cearense, que reagiu e foi espancado. Crime é inafiançável

Mexicano é preso pela PM. Foto: Reprodução
Mexicano é preso pela PM. Foto: Reprodução

Presos em flagrante em Fortaleza (CE) na noite do último domingo após espancarem um brasileiro, quatro mexicanos foram autuados por lesão corporal grave, crime inafiançável, e podem ser condenados com pena entre dois e oito anos de reclusão. O crime aconteceu poucas horas depois da eliminação do México da Copa do Mundo, em derrota de virada para a Holanda por 2 a 1, no Castelão.

O delito aconteceu na Avenida Monsenhor Tabosa, próxima ao aterro da Praia de Iracema, onde se realiza a Fifa Fan Fest durante o Mundial. Segundo informações da Polícia Militar, um advogado cearense estava na avenida quando o grupo de estrangeiros passou em um táxi e um deles tocou em uma parte íntima da esposa do brasileiro. Este último protegeu a sua companheira e acabou agredido pelos mexicanos. O irmão da vítima também foi atingido, com menos gravidade.

Depois da confusão, os agressores foram impedidos de fugir por populares e pela chegada da PM. Na sequência, foram encaminhados pela Delegacia de Proteção ao Turista e identificados como Mateo Codinas Velten, 35 anos, Rafael Miguel Medina Pederzini, 31, Sergio Israel Eguren Cornejo, 37, e Angel Rimak Eguren Cornejo, 34. Em seguida, as vítimas, cujos nomes são mantidos em sigilo, reconheceram os mexicanos, que foram encaminhados para a Delegacia de Capturas.

Ainda no domingo, sete pessoas, entre elas três mexicanos, foram detidas nas proximidades do Castelão após a vitória da Holanda sobre o México. Segundo a PM, os homens brigaram entre si quando cantavam o hino respectivo de cada país. Os brasileiros prestarão depoimento nesta segunda no juizado especial do torcedor. Eles foram autuados por praticar violência em eventos esportivos.

Desde o início da Copa, 11 turistas estrangeiros já foram detidos no Ceará. Nove são mexicanos: dois detidos por desacato, quatro por lesão corporal grave e três por praticar violência em eventos esportivos. Um alemão e um grego cometeram dano ao patrimônio do Castelão ao quebrarem cadeiras.

Fonte: lancenet

Compartilhar: