México se transforma e volta a ser ameaça ao Brasil em Copa

Seleção passa por transformação nas mãos de Miguel Hererra e volta a ser competitiva diante de um dos adversários que mais gosta de jogar

Mexicanos comemoram gol na final olímpica contra o Brasil; recuperação na reta final para a Copa cria expectativa para a Copa. Foto: Divulgação
Mexicanos comemoram gol na final olímpica contra o Brasil; recuperação na reta final para a Copa cria expectativa para a Copa. Foto: Divulgação

O que esperar do México nesta terça-feira em Fortaleza? A equipe dominada pelo Brasil durante a Copa das Confederações de 2013 ou o carrasco que venceu o rival por duas vezes em 2012 e frustrou o sonho olímpico em Londres? A transformação da seleção sob comando de Miguel Herrera e a estreia segura contra Camarões indicam que o Brasil terá mais problemas na partida desta terça-feira, às 16h (de Brasília), do que encontrou há um ano no mesmo Estádio do Castelão.

Pouco depois de uma campanha sofrível na Copa das Confederações, o México se classificou para a Copa do Mundo de forma agônica, graças a uma ajuda dos Estados Unidos contra o Panamá. Era preciso mudar tudo, e coube a Herrera substituir José Manuel De La Torre para conseguir deixar um time ao menos competitivo para a Copa.

O trabalho do treinador desde o final de 2013 se baseou em devolver a confiança à seleção. Bom orador e motivador, resolveu problemas internos e refez taticamente o time. Hoje o sistema é definido com três zagueiros e dois alas e não há dúvidas sobre qual é o time titular. Apenas quatro são remanascentes da equipe que começou o jogo há um ano.

“Miguel mudou muito a equipe, mexeu algumas peças, nos deu força. Fez a gente ter mais motivação. A equipe hoje é mais unida, tem muito mais garra. É um time mais atrevido do que em 2013. Fica evidente que se tornou mais combativo”, disse o goleiro Ochôa.

A mudança de postura do México pode ser notada pelo resgate da identificação entre o time e a torcida. No último domingo, quando chegaram a Fortaleza, os jogadores mexicanos entraram no clima da Copa ao se aproximarem dos fãs que faziam festa na orla da capital cearense.

“O ano de 2013 foi difícil. Tínhamos uma dívida forte com os torcedores e fomos pagando. E os torcedores viram como ganhamos e agora estão nos apoiando. O gesto de nos aproximarmos deles mostra que não somos intocáveis e fechados e que estamos pagando a dívida que tínhamos. Acho que foi extraordinário ver os meninos cantando hino. Isso nos dá força”, disse o treinador.

Um novo time

As mudanças no México foram acompanhadas pela comissão técnica brasileira com atenção. “Sempre temos muito respeito ao México, porque é uma equipe que e se comporta como uma grande seleção, uma grande equipe. Não esqueça que seleção mexicana mudou técnico e a forma de jogar também desde a Copa das Confederações. Eles jogavam no 4-4-2 e agora está diferente. Precisamos trabalhar para nos posicionar bem e causar prejuízos a equipe adversária”, disse Felipão.

O zagueiro mexicano Salcido vê muitas diferenças entre o time do ano passado e o atual. “É uma outra partida. Tem várias diferenças. Naquela época estávamos disputando uma Eliminatória complicada, não conseguimos fazer uma boa Copa das Confederações. Agora estamos mais tranquilos e mais prontos”, afirmou.

Retrospecto

Um México forte novamente é sinal de problemas para a Seleção. O histórico dos últimos 18 anos não deixa dúvidas: o país se tornou um dos maiores rivais do Brasil depois de começo de confronto em que era freguês de carteirinha. Desde 1996 são nove vitórias para cada lado e apenas seis empates.

Neste período o México conseguiu como maior façanha contra o Brasil ganhar a final olímpica. Nove jogadores que estavam naquela tarde de sábado em Londres permanecem no grupo até hoje. No Brasil o número é de cinco.

A nova rivalidade será colocada em prova nesta terça-feira em uma Copa do Mundo, na qual o México nunca sequer fez um gol no Brasil. Foram três jogos, em 1950, 1954 e 1962, e uma lavada no retrospecto com goleadas de 5 a 0 e 4 a 0 e uma vitória de 2 a 0. Ao todo o Brasil soma 21 vitórias, seis empates e 11 derrotas contra o México.

Confira todos os resultados do confronto:

24/06/1950: Brasil 4 x 0 México – Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
06/04/1952: Brasil 2 x 0 México – Estádio Nacional (Santiago, Chile)
16/06/1954: Brasil 5 x 0 México – Charmilles (Genebra, Suíça)
08/03/1956: México 1 x 2 Brasil – Estádio Municipal (Cidade do México)
06/03/1960: Brasil 2 x 2 México – Estádio Nacional (San Jose, Costa Rica)
15/03/1960: Brasil 2 x 1 México – Estádio Nacional (San Jose, Costa Rica)
30/05/1962: Brasil 2 x 0 México – Sausalito (Viña del Mar, Chile)
10/07/1968: México 2 x 1 Brasil – Azteca (Cidade do México)
31/10/1968: Brasil 1 x 2 México – Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
03/11/1968: Brasil 2 x 1 México – Mineirão (Belo Horizonte, Brasil)
30/09/1970: Brasil 2 x 1 México – Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
31/03/1974: Brasil 1 x 1 México – Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
04/06/1976: México 0 x 3 Brasil – Jalisco (Guadalajara, México)
08/06/1980: Brasil 2 x 0 México – Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
13/12/1990: Brasil 0 x 0 México – Memorial Coliseum (Los Angeles, EUA)
31/07/1992: Brasil 5 x 0 México – Memorial Coliseum (Los Angeles, EUA)
08/08/1993: Brasil 1 x 1 México – Rei Pelé (Maceió, Brasil)
16/12/1993: México 0 x 1 Brasil – Jalisco (Guadalajara, México)
21/01/1996: México 2 x 0 Brasil – Memorial Coliseum (Los Angeles, EUA)
30/04/1997: Brasil 4 x 0 México – Orange Bowl (Miami, EUA)
16/06/1997: Brasil 3 x 2 México – Ramón Aguilera (Santa Cruz de la Sierra, Bolívia)
16/12/1997: Brasil 3 x 2 México – Estádio Rei Fahd (Al Riad, Arábia Saudita)
03/07/1999: Brasil 2 x 1 México – 3 de Febrero (Ciudad del Este, Paraguai)
14/07/1999: Brasil 2 x 0 México – 3 de Febrero (Ciudad del Este, Paraguai)
04/08/1999: México 4 x 3 Brasil – Azteca (Cidade do México)
07/03/2001: México 3 x 3 Brasil – Jalisco (Guadalajara, México)
12/07/2001: México 1 x 0 Brasil – Pascual Guerrero (Cali, Colômbia)
30/04/2003: México 0 x 0 Brasil – Jalisco (Guadalajara, México)
13/07/2003: México 1 x 0 Brasil – Azteca (Cidade do México)
27/07/2003: México 1 x 0 Brasil – Azteca (Cidade do México)
18/07/2004: Brasil 4 x 0 México – Miguel Grau (Piura, Peru)
19/06/2005: Brasil 0 x 1 México – Niedersachsenstadion (Hannover, Alemanha)
27/06/2007: Brasil 0 x 2 México – Polideportivo Cachamay (Puerto Ordaz, Venezuela)
12/09/2007: México 1 x 3 Brasil – Gillette Stadium (Boston, EUA)
11/10/2011: México 1 x 2 Brasil – Estádio Corona (Torreón, México)
03/06/2012: México 2 x 0 Brasil – Cowboys Stadium (Dallas, Estados Unidos)
11/08/2012: México 2 x 1 Brasil – Wembley (Londres, Inglaterra)
19/06/2013: Brasil 2 x 0 México – Estádio Castelão (Fortaleza, Brasil)

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade