Michael Schumacher finalmenete apresenta pequenos sinais de melhora

De acordo com publicação, o ex-piloto não está em fase vegetativa

Ex-piloto não estaria mais em estado vegetativo. Foto: Divulgação
Ex-piloto não estaria mais em estado vegetativo. Foto: Divulgação

Depois de um longo período de silêncio, boas notícias para os fãs de Michael Schumacher: de acordo com a publicação alemã “Bild”, o heptacampeão mundial de Fórmula apresentou pequenos sinais de evolução. O jornal atribui as declarações à porta-voz do piloto, Sabine Kehm:

“Ele se encontra melhor, há leves indícios de melhoras”

Schumi não estaria sequer em estado vegetativo, mas isso não significa que é possível ser muito otimista. Segundo fontes consultadas pelo próprio “Bild”, “pode haver complicações ou retrocessos a todo momento devido à violência do golpe que ele sofreu na cabeça.

Sabine Kehm ainda aproveitou a oportunidade para desmentir a informação de que a esposa de Schumacher, Corinna, estaria preparado a casa onde eles viviam em um “mini hospital” para que o piloto possa ser tratado em casa.

Segundo o tabloide “The Sun”, Corinna gastaria cerca de R$ 37 milhões para adquirir os mais modernos equipamentos que mantém Schumi vivo para levá-lo para a residência, localizada em Lake Geneva, na Suíça.

O “Bild”, porém, informa que a casa dos Schumacher, de fato, está em reforma, mas para a construção de uma casa onde ficaria o pai do piloto. A publicação ainda informa que uma possibilidade é que Michael seja transferido para uma clínica de reabilitação, em local não revelado.

No começo de abril, a revista alemã Die Aktuelle causou revolta dos fãs de Michael Schumacher ao optar por uma capa sensacionalista, em que exibe o ex-piloto alemão sorrindo e com a manchete: “Acordado”, passando a impressão em um primeiro momento que o heptacampeão de F-1 poderia ter despertado do coma de três meses.

Porém, na verdade, a publicação não tem nenhuma informação sobre o estado de saúde de Schumacher e traz apenas relatos de pessoas que passaram por situações semelhantes e conseguiram se recuperar.

Depois de dizer que os fãs de Michael Schumacher podem estar diante de uma oportunidade de “se despedir dele”, o ex-médico da Fórmula 1 Gary Hartstein voltou a falar da situação do heptacampeão mundial em seu blog no fim de março. Ao comentar os procedimentos médicos adotados minutos após o acidente, o profissional fez uma revelação que mostra o quão é complicado o quadro clínico do alemão:

“Era uma situação na qual a pressão intracraniana estava tão alta que o cérebro estava literalmente sendo espremido na caixa craniana”.

Gary, que atendeu Felipe Massa no grave acidente sofrido pelo brasileiro no GP da Hungria de 2009 (foto), voltou ao assunto porque seu texto anterior sobre Schumacher provocou polêmica e também continha críticas ao modo como Schumacher foi socorrido ao sofrer o acidente de esqui:

“Não critiquei ninguém especificamente, até porque a medicina pré-hospitalar é difícil mesmo com as melhores condições (…) O que eu critiquei foi um sistema que leva pacientes com lesões na cabeça para um hospital não especialistas em neurologia sem nenhuma razão para isso (…) Critico um sistema que permite uma incapacidade de controlar adequadamente um paciente agitado antes do voo, bem como os atrasos no controle adequado das vias aéreas, que indicam provável formação insuficiente, protocolos não necessariamente cumpridos e talvez pouca experiência em circunstâncias difíceis”

Fonte: R7

 

 

Compartilhar:
    Publicidade