Milionário recolhia garrafas na rua e gastava apenas R$ 900 no mês

Empresário excêntrico, que morreu esta semana, era proprietário de um 'império', mas vivia com menos de R$ 900 por mês

Apesar de rico, Zapf vivia com menos de 300 euros (cerca de R$ 900) por mês. Foto: Divulgação
Apesar de rico, Zapf vivia com menos de 300 euros (cerca de R$ 900) por mês. Foto: Divulgação

Um excêntrico milionário alemão que morreu nesta quarta-feira foi lembrado pela sua trajetória de vida de humildade.

Klaus Zapf, 62 anos, vivia de forma muito modesta e era conhecido por atos como recolher garrafas plásticas à noite.

Ele fundou e era coproprietário da Zapf Umzüge, uma das maiores empresas de transporte de mudança e depósito da Europa.

Mas por opção própria, morava em um pequeno apartamento e recebia de sua empresa apenas o suficiente para cobrir seus custos básicos de vida. De acordo com a imprensa alemã, vivia com menos de 300 euros (cerca de R$ 900) por mês.

O empresário contou certa vez que fazia suas compras apenas nos supermercados mais baratos. “Eu não preciso de dinheiro. Ele só nos faz desigual”, disse.

Quando estudante, Zapf se envolveu “profundamente” na esquerda alemã, segundo os relatos. Entre seus amigos estava Rudi Dutschke – um proeminente líder do movimento estudantil socialista da Alemanha na década de 1960.

Rei da mudança

O correspondente da BBC em Berlim, Stephen Evans, disse que Zapf se assemelhava a um indigente, com uma longa e espessa barba. Essa figura simples estava no topo de um império de negócios, acrescentou.

Zapf interrompeu seus estudos universitários para fundar sua empresa de mudanças em Berlim Ocidental – onde trabalhava carregando móveis – em 1975.

Como nunca teve carteira de motorista, dependia de outras pessoas para dirigir a caminhonete enquanto ele fazia o trabalho pesado e, mais tarde, a administração dos negócios.

Quando caiu o muro de Berlim, ele rapidamente compreendeu que a capital do país seria transferida de Bonn para lá. O empresário então criou um depósito na cidade e conquistou a maior parte do negócio de mudanças.

A empresa hoje tem 600 funcionários e atende mais de 60 mil clientes por anos em 14 localidades.

Zapf havia acabado de se casar pela segunda vez em junho deste ano. Ele deixa uma filha.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade