Ministério da Saúde envia medicamentos às vítimas das chuvas em Natal‏

A capital do Rio Grande do Norte irá receber kit da Força Nacional do SUS com cerca de 240 kg de medicamentos e insumos para assistência a população necessitada

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde irá contribuir para a assistência à população de Natal (RN) atingida, desde a semana passada, por fortes chuvas. Diante da situação de calamidade pública, decretada nesta segunda-feira (16) pela prefeitura potiguar, o Ministério está enviando kit composto por medicamentos e insumos com capacidade para atender cerca de 1.500 pessoas ao mês. Cada kit pesa 240 kg e contém 48 itens, sendo 30 tipos de medicamentos e 18 insumos para primeiros-socorros, incluindo antibióticos, anti-inflamatórios e ataduras. O material deve chegar ao município até esta terça-feira (17).

Além de disponibilizar os medicamentos e insumos, o Ministério da Saúde mantém contato diário com as autoridades do município de Natal e do estado do Rio Grande do Norte para acompanhar a situação e avaliar sobre a necessidade de envio de profissionais de saúde vinculados à Força Nacional do SUS (FN-SUS). Até o momento, no entanto, a situação tem sido conduzida com base no plano municipal de contingência de inundação do município e com o apoio do Estado.

Força Nacional do SUS

 

Foi criada em novembro de 2011 para agir no atendimento às vítimas de desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico e eventos de massa, quando superada a capacidade de resposta do estado ou município. Atualmente, FN-SUS conta com 12.869 voluntários distribuídos em todo o país.

A Força Nacional possui equipes assistenciais para resposta às emergências em saúde pública e apoio à gestão em eventos de massa. Desde sua criação, a FN-SUS participou de 23 missões, sendo 11 de desastres naturais, sete de apoio à gestão local nas diversas situações, quatro de desassistência e uma relacionada às tragédias.

Para solicitar o apoio da Força Nacional do SUS, o município, ou o estado, deve decretar situação de emergência, calamidade ou desassistência. Com isso, tem início a etapa nominada “missão exploratória”, quando profissionais vão até o local para fazer um diagnóstico da rede de saúde e verificar a necessidade de apoio em relação aos equipamentos, insumos e recursos humanos.

A Força Nacional também mantém nove módulos para montagem de hospitais de campanha, que contam com acessórios como ar-condicionado, gerador elétrico, pias e telefone satelital para uso em locais sem acesso a celular. A estrutura é utilizada em caso de necessidade nas emergências de saúde pública em apoio às cidades.

Compartilhar:
    Publicidade