Ministério da Saúde reforça importância da vacina para prevenir câncer de colo

Eficácia da vacina é de 98,8% contra a doença

A vacina pode proteger contra até oito subtipos de HPV. Foto: André Sousa/Agência Brasília
A vacina pode proteger contra até oito subtipos de HPV. Foto: André Sousa/Agência Brasília

A quase um mês do início da vacinação gratuita contra o HPV, o Ministério da Saúde reforça a importância da imunização contra o vírus que pode provocar o câncer de colo de útero. A eficácia da vacina é de 98,8% contra a doença.

A partir de março, a dose contra o HPV vai estar disponível para meninas de todo o Brasil com idades de 11 a 13 anos.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Carla Domingues, explica que o calendário da vacina contra o vírus HPV foi dividido em três etapas por apresentar melhor resultado.

— O Ministério da Saúde vai utilizar o esquema estendido que é a aplicação da primeira dose em março, a segunda dose seis meses depois e uma terceira dose cinco anos após a primeira dose. À medida que nós expandimos esse espaço entre as doses, nós aumentamos a eficácia da vacina e assim há uma segurança de que nós estaremos cobrindo a população alvo devidamente protegida contra o câncer do colo do útero.

A vacina contra o HPV é segura e tem eficácia comprovada para proteger mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus. De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, a vacina pode proteger contra até oito subtipos de HPV.

A vacina não elimina o uso de camisinha nas relações sexuais. Além disso, é preciso manter as ações já adotadas para prevenir o câncer de colo de útero, como o exame Papanicolau.

 

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade