Mirante na avenida Getúlio Vargas será novo ponto turístico de Natal

Projeto já está pronto, mas ainda não há previsão de início da obra

Atualmente, ocupação irregular da encosta está sendo destruída. Projeto do mirante irá equipar  o lugar com bancos, jardineiras e postes de iluminação. Foto: José Aldenir
Atualmente, ocupação irregular da encosta está sendo destruída.
Projeto do mirante irá equipar
o lugar com bancos, jardineiras e postes de iluminação. Foto: José Aldenir

A área localizada na lateral do Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol), na avenida Getúlio Vargas, em Petrópolis, que antes abrigava cigarreiras, será destinada a construção de um mirante. Embora o memorial descritivo com a justificativa do projeto arquitetônico esteja pronto, a obra ainda não tem previsão de início e nem orçamento definido.

Conceição Rodrigues, diretora do Departamento de Assessoria Técnica da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) enfatiza que a zona Leste ganhará um espaço público totalmente revitalizado.  “Ao pensar este projeto, a Prefeitura objetiva entregar à população de Natal, uma área de mais de 300 m² integralmente urbanizada e com uma das vistas mais lindas da nossa cidade. O mirante de Natal também será mais um ponto turístico, com infraestrutura voltada para acessibilidade, segurança e durabilidade dos materiais”, declarou.

De acordo com o Departamento de Assistência Técnica da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), o projeto tem o objetivo de equipar o lugar com uma estrutura com bancos, jardineiras e postes de iluminação, onde os visitantes do espaço poderão admirar a paisagem. A escadaria existente no local para acesso à rua do Motor será totalmente restaurada e todo o revestimento da escadaria será retirado e colocado em concreto de alta resistência (rugoso), como também os corrimãos. O piso sugerido para o deck do mirante é o de placas de concreto de alta resistência (rugoso), e também haverá instalação de luminárias apropriadas e de um ponto d’água.

Em março de 2012, a Semurb, atendendo a um pedido do Ministério Público Estadual, iniciou a retirada das cigarreiras. No local havia quatro estabelecimentos comerciais e edificações. De acordo com a Semurb, as cigarreiras foram montadas irregularmente e sem autorização, sob uma encosta, em área pública e considerada de risco.  Após a demolição das cigarreiras, os entulhos permaneceram no local até este mês de dezembro, servindo de abrigo para marginais que usavam a área como ponto de drogas.

Atualmente, uma equipe contratada pela Prefeitura está realizando no local a construção de um novo muro de arrimo e, segundo Tomaz Neto, secretário municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), após toda a demolição da ocupação irregular da encosta será feita a composição do passeio, da calçada, do parapeito e regularização do talude.

Compartilhar: