Moradores de rua da Grande Natal participam de oficina de teatro

Lindemberg explica que a atividade tem como foco trabalhar a autoestima

Teatro-de-Rua-JA

Há inúmeras formas para motivar pessoas que vivenciam a exclusão social. Por mais que pareça uma atividade para pessoas privilegiadas, a arte é um dessas maneiras que atingem a essência de qualquer indivíduo e possibilita novo ânimo. É por isso que a Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) e o grupo de teatro Arte Interativa promoveram pela primeira vez hoje uma oficina para pessoas que vivem na rua.

A iniciativa ocorreu no Centro de Referência Especializado para População em situação de rua de Parnamirim, localizado no bairro Monte Castelo. A oficina começou hoje pela manhã e tem a intenção de mexer com a autoestima e levar os participantes a refletirem sobre as suas vidas.

Qualquer semelhança com a vida deles, não é mera coincidência. “A proposta do teatro motivacional está baseada na vida de cada um deles. Eles contam e representam o que eles viveram da infância até hoje, levando a mensagem que o fim é o começo de tudo”, disse Lindemberg Azevedo, arte-educador, ator e diretor de teatro responsável pela realização da ação social.

Um dos participantes é Jean Francisco Mendonça de 39 anos. Quando não está trabalhando de carteira assinada, consegue manter-se como gesseiro. Essa foi a primeira vez que teve experiência na arte da interpretação. “É a primeira vez que participo, mas sempre achei interessante o que se passa no teatro”, contou.

Nesta primeira edição, participaram quatro pessoas. Com apenas o período de uma manhã para serem apresentados a essa nova expressão artística e ensaiarem, a narrativa teatral será curta. “Cada um tem um frase. A minha é ‘eu queria ter minha família'”, explicou o mais novo ator de Parnamirim.

A apresentação do grupo ocorreu hoje por volta das 14h no Desafio Jovem, uma casa de reabilitação na cidade de Parnamirim. “O treinamento, o ensaio é muito importante para apresenta bem feito, é a realidade da vida”, encerrou o Jean Mendonça.

O professor Lindemberg Azevedo confirma que a história que será apresentada tem relação direta com os atores. “A gente traz de maneira criativa para lidar com questões do cotidiano. A arte tem cada vez mais esse papel de transformação social”, acrescentou.

O título da peça é simples: Vida. Subtítulo: Felicidade. O professor informou também que o grupo irá realizar a mesma oficina no Albergue de Natal, mas ainda não tem data marcada para o evento. O projeto surgiu a partir da Política Estadual de Promoção da Equidade em Saúde, que trabalha com grupos sociais tradicionalmente excluídos (ciganos, LGBT, população rural, de floresta etc) na tentativa da superação as barreiras que eles enfrentam na sociedade.

Compartilhar: