Morre em Natal nesta madrugada, aos 71 anos, o ex-senador João Faustino

Governo do Estado decretou luto oficial de três dias em todo o RN

Autoridades políticas e familiares chegaram logo cedo ao velório do ex-senador. Sepultamento ocorrerá esta tarde, no Cemitério Morada da Paz, em Emaús. Foto: Heracles Dantas
Autoridades políticas e familiares chegaram logo cedo ao velório do ex-senador. Sepultamento ocorrerá esta tarde, no Cemitério Morada da Paz, em Emaús. Foto: Heracles Dantas

Ana Paula Cruz
anaprcruz@gmail.com

Morreu nesta madrugada de hoje, aos 71 anos, o ex-senador João Faustino Ferreira Neto. O falecimento ocorreu no Hospital do Coração, em Natal, devido a complicações cardíacas ocasionadas por um quadro de Leucemia Mieloblástica Aguda, doença que foi diagnosticada há aproximadamente 15 dias. O velório está sendo realizado na Capela Central do Cemitério Morada da Paz, em Emaús. O ex-senador deixa a esposa Sônia e os filhos Edson, Fátima e Lissa e netos.

Em sinal de pesar pela morte, a Governadora Rosalba Ciarlini decretou luto oficial de três dias em todo o Estado e determinou o hasteamento da bandeira do Estado a meio pau em todas as repartições públicas, em honra à memória do professor. A governadora Rosalba Ciarlini esteve presente ao velório nesta manhã e falou que o ex-senador vai fazer falta para o Estado. “João deixou marcas do seu trabalho, do seu empreendedorismo, dinamismo no nosso Estado. Cada cidade do Rio Grande do Norte com certeza tem a marca desse trabalho. Como educador, João Faustino tinha um amor muito grande, foi um ótimo secretário de educação. Depois, como parlamentar sempre na defesa do nosso Estado. Deu grandes contribuições  para o RN. Deixa uma grande  lacuna, uma grande saudade e o nosso reconhecimento e agradecimento do  povo potiguar”.

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, que não está no Estado, confirmou a vinda para o sepultamento e, por meio de nota, lamentou a morte do amigo. Estou muito chocado porque foi uma morte que veio muito rapidamente. Nós não sabíamos, nem amigos, nem sua família, que ele estava tão doente. Nunca estamos preparados para essa perda”, disse o Ministro. O senador José Agripino também está fora do Estado, mas confirmou que estará presente no sepultamento do ex-senador, que será realizado às 17h.

Iberê Ferreira, ex-governador do Estado, também esteve no velório e falou sobre o amigo. “João foi uma pessoa que entrou  na vida pública e deu exemplo de uma pessoa  tranqüila, que sempre procurou resolver os problemas do Estado, da melhor forma para o Rio Grande do Norte. Lamento muito e acho que Estado vai sofrer uma perda muito grande com a ausência de João”, lamentou o ex-governador.

O ex-ministro e ex-governador de São Paulo, José Serra, lastimou a morte do companheiro João Faustino pelo microblog Twitter. “Foi-se o João Faustino, amigo querido, companheiro da UNE, do PSDB, do Congresso, do governo FHC, do governo de SP. Bom caráter. Grande homem público”.

“Faleceu João Faustino. Inacreditável. Vivia com sua simplicidade e alegria de sempre. Uma vida de lutas, ganhando, perdendo. De cabeça erguida”, lamentou o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves pelo Twitter.

O deputado federal João Maia disse que João Faustino fará muita falta. “João Faustino tem uma história que todo o Rio Grande do Norte lembra. Fará muita falta a sua Família, seus amigos e a todos nós”.

O diretório estadual do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), partido ao qual João Faustino era filiado, lançou nota de pesar pelo falecimento do ex-senador. “Respeitosamente, lamentamos a perda e ressaltamos a contribuição de João Faustino para todos que com ele conviveram. Elevamos nossas preces para que Deus o receba e o acolha em paz”.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta, se solidarizou com a morte de Faustino. “João Faustino, um cordial amigo que tive, foi um homem público de atitudes moderadas sem perder a firmeza dos seus ideais. Um homem de formação democrática e de diálogo. Um conciliador nato, respeitado por todas as forças políticas do Rio Grande do Norte pelo seu estilo onde o radicalismo jamais encontrou lugar. Estou perplexo pela sua morte brusca, ao mesmo tempo em que me solidarizo com todos os seus familiares”. Os deputados estaduais Raimundo Fernandes e Gustavo Fernandes, o ex-deputado Ney Lopes de Souza, e outras algumas autoridades políticas também estiveram presentes na Capela para prestar suas últimas homenagens a João Faustino.

O plenário do Tribunal de Contas do Estado aprovou, à unanimidade, voto de pesar pelo falecimento do ex-deputado João Faustino. O Ministério Público Especial junto ao Tribunal, também se associou a iniciativa.

Breve Biografia

João Faustino – Eleição, prisão, livros e perdão
Nascido em 1942, João Faustino foi militante no movimento estudantil e presidente da União Estadual dos Estudantes do RN. Graduou-se em Pedagogia e Matemática pela UFRN, onde se tornou professor titular. Possuía pós-graduação na Fundação Getúlio Vargas e Universidade de Michigan. Em 2008, publicou o livro “A Escola que vivi – memórias de um educador”, no qual faz um histórico da Escola Técnica Federal norte-riograndense.

Foi secretário de Educação do município de Natal entre 1971 e 1972. Também foi titular da Secretaria Estado de Educação do Rio Grande do Norte entre 1975 e 1979. Em 1978, se elegeu pela primeira vez deputado federal, então filiado a Arena. Seria reeleito em 1982 e em 1990.  Em 1986 concorreu ao Governo do Estado pela aliança popular. Pertenceu ao PDS, PFL e atualmente era filiado ao PSDB.

Entre 1999 e 2002 exerceu cargos na Presidência da República. Eleito em 2002 como 1º suplente do senador Garibaldi Alves Filho, exerceu o mandato entre 15 de julho e 12 de novembro de 2010. Nas eleições de 2010, foi eleito novamente 1º suplente, desta vez do senador José Agripino Maia.

Em 2011, ele foi preso temporariamente por suposto envolvimento na Operação Sinal Fechado, deflagrada pelo Ministério Público (MP), que investigou as irregularidades na inspeção de carros do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). No final de 2012, João Faustino lançou o livro “Eu perdôo”, uma autobiografia sobre os acontecimentos da vida dele, como o assassinato do pai e a Operação Sinal Fechado, que culminou na prisão de Faustino.

 

Compartilhar:
    • Wilson Soares Wilson

      Ao meu nobre amigo
      Prof. João Faustino.
      Saudades…

      E que Deus na sua infinita misericórdia console seus familiares e, amigos que são muitos, pela perda deste grande líder, HONESTO, digno e ético politico do Rio Grande do Norte. Eu pessoalmente e minha família lamentamos a sua convocação, mas certo estamos de que ele está na Glória Deus. Eu manterei gravado na minha retina a sua fisionomia de um verdadeiro homem público, de ilibada conduta moral e fraterna, e humanitária.
      Recebo com tristeza…
      Essa é minha singela homenagem.
      Natal, 9 de janeiro de 2014.
      Wilson Soares de Araújo e família.

    Publicidade