Morreu hoje, aos 83 anos, o ex-deputado federal Plínio de Arruda Sampaio

Internado há mais de um mês no hospital Sírio-Libanês, tratava de câncer nos ossos e completaria 84 anos no final de julho

plinio-arruda-size-598

Morreu na tarde desta terça-feira o ex-deputado Plinio de Arruda Sampaio, aos 83 anos. Ele estava internado há mais de um mês no hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. O primeiro boletim médico emitido pelo hospital aponta que o político foi internado em 26 de junho na Unidade de Terapia Intensiva para tratar de câncer nos ossos. Nos últimos dias, porém ele se recuperava na Unidade de Terapia Semi-Intensiva. Plínio faria 84 anos no dia 26 de julho. Ele morreu em decorrência de falência múltipla de órgãos, segundo boletim médico divulgado pela instituição.

O político concorreu à Presidência da República nas eleições de 2010 pelo PSOL, partido do qual se desligou recentemente. Terminou a disputa em quarto lugar e recebeu 886.000 votos. Após a disputa eleitoral, lançou o livro Por que participar da política?, em novembro de 2010.

Formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1954, militou na Juventude Universitária Católica, da qual foi presidente, e na Ação Popular, organização de esquerda surgida a partir dos movimentos da Ação Católica Brasileira.

Foi promotor público, deputado federal constituinte e presidiu a Associação Brasileira de Reforma Agrária (Abra). Ao longo da carreira política, exerceu três mandatos como deputado federal.

Durante a Ditadura Militar, exilou-se no Chile por seis anos. Ao voltar ao Brasil, em 1976, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT). Nos anos 1980, se engajou na campanha das Diretas Já. Em 1986, foi eleito deputado federal e participou da elaboração da Constituição de 1988. Em 1990, disputou o governo de São Paulo pelo PT e foi derrotado. Perdeu para Luiz Antônio Fleury Filho, candidato do PMDB, ficando em quarto lugar.

Plínio deixou o PT em 2005 e migrou para o PSOL. Em 2006, candidatou-se novamente ao governo do Estado de São Paulo e ficou em quarto lugar.

Seus problemas de saúde se agravaram em 2001, quando submeteu-se a uma cirurgia para tratar um câncer no estômago. Casado há 60 anos, o político deixa seis filhos.

 

Fonte: Veja

Compartilhar:
    Publicidade