Mossoró faz história

A eleição de José Silveira Júnior, o Silveirinha, para prefeito de Mossoró é muito mais do que uma resposta a…

A eleição de José Silveira Júnior, o Silveirinha, para prefeito de Mossoró é muito mais do que uma resposta a este ou aquele, como muitos estão avaliando na mídia política potiguar. O resultado põe fim a um domínio de décadas da família Rosado e, nos últimos anos, as seguidas administrações do Democratas, com Rosalba Ciarlini, Fafá Rosado e, por último, com a afastada Claudia Regina.

Com a vitória de Silveirinha, a maior resposta do eleitorado mossoroense foi dada a família que vem se sucedendo no Palácio da Resistência, como se o município fosse uma propriedade privada que passa entre seus descendentes. Mas, o resultado das urnas também não coloca um fim nisso. A possibilidade de retorno dos Rosados ao poder nos próximos pleitos continua, claro. E tudo dependerá do desempenho do prefeito no cargo.

Outro detalhe importante a ser levado em consideração é que, pelo menos oficialmente, a governadora Rosalba Ciarlini orientou o voto nulo nas eleições suplementares, já que sua candidata foi impedida de participar da disputa. Como maior eleitora da cidade nos últimos anos, qualquer análise do pleito fica prejudicada diante da ausência de uma postura pública da chefe do executivo estadual.

Por fim, há o impacto deste resultado no pleito estadual. Nem Robinson Faria saiu vencedor em Mossoró, nem Henrique foi o derrotado, mas sim seus candidatos, Silveirinha e Larissa Rosado, respectivamente. Mas, é inegável a injeção de ânimo que recebe o vice-governador, a poucos meses do início de uma dura batalha eleitoral. Do mesmo jeito, foi um verdadeiro banho de água fria no grupo liderado pelo peemedebista.

De certa forma, o resultado mossoroense fez crescer ainda mais a expectativa quanto as urnas estaduais, que serão abertas em breve. Engana-se quem acha que será fácil ou, muito menos por WO, como se especulou. O povo potiguar gosta das disputas e este ano não será diferente. Quem tiver mais fôlego e força para chegar ao final, sairá vencedor. Nesta primeira batalha, o oxigênio foi todo para o balão de Robinson.

REDE SOCIAL

O deputado federal Henrique Alves fugiu de qualquer polêmica após o resultado das urnas mossoroenses. Pelo seu twitter pessoal, o parlamentar falou bastante sobre a campanha na segunda maior cidade do Estado, e tratou de minimizar a derrota da sua candidata, Larissa Rosado. Assim como também tentou afastar qualquer relação desta disputa com a eleição estadual que se aproxima.

ENTRE ASPAS

Segundo Henrique, querer relacionar o pleito de Mossoró com a futura campanha no Rio Grande do Norte “é um factóide que não resiste a um simples exemplo”. O parlamentar se refere ao fato de vários partidos que apoiaram Silveirinha já terem suas posições definidas para as urnas estaduais, ao lado do próprio Henrique. São os casos de PV, PSDB, PDT e PSC.

DETALHES

Em tempo: é preciso registrar. A deputada estadual Larissa Rosado, que tem sempre se destacado com suas ações na Assembleia Legislativa, acumula, com esta, sua quarta derrota seguida nas eleições da cidade. Talvez, seja a hora de mudar de foco. Além disso, o filho da ex-governadora Wilma de Faria, Lauro Maia, acabou perdendo mais uma grande chance de assumir o mandato de deputado estadual, já que é primeiro suplente do PSB.

OPÇÕES DOS PEQUENOS

O Psol já definiu seu candidato ao governo do Estado. O professor da UFRN, Robério Paulino, que disputou a Prefeitura de Natal em 2012, representará novamente a legenda. Pelo PSL, o advogado Araken Farias, ex-diretor do Procon-RN, também está praticamente garantido na disputa. O PSDC, da vereadora Eleika Bezerra, também pode entrar no jogo.

FUTEBOL POTIGUAR

A vitória do ABC sobre o América pode representar a definitiva ascensão do clube alvinegro, que vem de um péssimo início de ano, quando cumpriu uma de suas piores campanhas da história no Campeonato Potiguar. Na Série B, o time está invicto e entre os líderes. Apesar de ser só o início da competição, já mostra uma evolução considerável diante do time que começou 2014.

VERDE EM CRISE

São as piores possíveis as notícias sobre a situação administrativa do Alecrim. Mais uma vez o presidente Anthony Armstrong viajou e deixou uma lista de dívidas para trás, sem previsão de pagamento. Vários jogadores estão esperando seus salários desde antes do fim do campeonato. A advogada de um ex-atleta do Verdão já pediu na Justiça o bloqueio dos bens de Armstrong.

MEDO DO FUTURO

A aparente desorganização do Alecrim assusta e frustra a torcida do Verdão, que viu em Armstrong a promessa de dias melhores e de um time competitivo. O elenco até melhorou, mas ficou longe de ser um time vencedor até agora. Para piorar, um ano antes do centenário alviverde, a sensação de abandono deixa os esmeraldinos ainda mais temerosos quanto ao futuro.

IMOBILIDADE

Finalmente o primeiro trecho das obras de mobilidade urbana serão entregues. A previsão do prefeito Carlos Eduardo é que um dos túneis do novo complexo passe a ser utilizado pela população já no dia 25 de maio. Os demais e os viadutos também serão concluídos nos dias seguintes. O único que não ficará pronto para a Copa é o localizado na marginal da BR-101, ao lado do Arena das Dunas.

GIRA MUNDO

A notícia é do Uol. Passados dez anos da criação do programa Luz Para Todos, o governo federal já sabe que subestimou – por muito – a quantidade de casas sem energia. Hoje, a estimativa é 257 mil casas estejam desligadas do mundo elétrico – cada residência tem uma média de quatro a cinco moradores. Além das casas oficiais, há ainda os acampamentos, que não podem ser ligados oficialmente. Apenas os que optam para as ligações clandestinas têm energia A meta do governo era que, há cinco anos, não houvesse ninguém sem energia no país.

Compartilhar: