Motorista que destruiu Ferrari em acidente é liberado após pagar fiança

Ele foi autuado por embriaguez e lesão corporal culposa

Carro ficou destruído após o acidente na BR-020. Foto: Diuvlgação
Carro ficou destruído após o acidente na BR-020. Foto: Diuvlgação

O motorista da Ferrari que se envolveu em acidente na tarde de sábado (24) pagou fiança de R$ 8 mil, estipulada pela Justiça, e foi liberado, de acordo com a Polícia Civil do DF.

Na delegacia, ele se recusou a fazer o teste de alcoolemia, porém o efeito do álcool foi constatado devido aos sinais evidentes de embriaguez, conforme relato e atestado por policiais rodoviários federais.

O veículo, avaliado em cerca de R$ 375 mil ficou bastante destruído após bater em outro carro, no km 21 da BR-020, saída norte do Distrito Federal.

Segundo testemunhas, o motorista da Ferrari estava participando de um racha com outros carros importados próximo ao posto Itiquira, quando atingiu um Gol. Três pessoas ficaram feridas, entre elas uma criança.

O Corpo de Bombeiros foi ao local socorrer as vítimas que foram encaminhadas ao hospital sem ferimentos graves. Apesar do acidente não ter causado vítimas fatais, os carros ficaram bastante danificados.

O delegado de plantão da 16ª Delegacia de Polícia, em Planaltina, onde a ocorrência foi registrada, informou que o motorista da Ferrari foi preso por embriaguez e lesão corporal culposa; embora as vítimas do outro carro tenham tido escoriações leves.

Na semana passada, a Justiça também liberou o motorista Rafael Yanovich Sadite, acusado de provocar a morte de mãe e filha em acidente de carro em Águas Claras. Sadite pagou fiança de R$ 30 mil e vai responder ao processo em liberdade.

Ele foi solto porque ele tem emprego, residência fixa e é réu primário. Não foi levado em consideração neste primeiro momento, o fato de o acusado estar com carteira de motorista cassada desde 2010 e ter 19 infrações registradas junto ao Detran.

Ainda não está previsto a data de julgamento e se ele vai a júri popular. De acordo com o advogado do acusado, Eric Pio Belo, só o laudo pericial, que ainda não foi finalizado, vai apontar as causas exatas do acidente.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade