Motoristas de ônibus param em protesto contra onda de assaltos em Natal

Nesta quinta, um motorista de ônibus acabou esfaqueado após mais um assalto

Paralisacao-dos-onibus-no-Baldo-HD-(11)

Diego Hervani

Repórter

A falta de segurança nos transportes coletivos em Natal fez com que os funcionários das empresas de ônibus da capital potiguar parassem por duas horas (10h – 12h) na manhã desta sexta-feira (25) e provocassem transtornos no trânsito e para os usuários, que foram pegos de surpresa com a situação.

O estopim para a atitude dos motoristas e cobradores foi a violência registrada na noite desta quinta-feira (24), quando três assaltos a ônibus aconteceram pelas ruas de Natal. Em um deles, um motorista foi esfaqueado pelos bandidos. “Eu quero saber o que o Governo está esperando para tomar providências. Isso é inadmissível. Quando alguém morrer, seja passageiro ou funcionário, aí já vai ser tarde. O transporte coletivo está entregue aos bandidos, assim como toda a população. O motorista foi esfaqueado sem ter feito nada. Ele entregou o dinheiro e os bandidos simplesmente o esfaquearam”, desabafou o diretor do Sindicato dos Rodoviários do RN (Sintro-RN), Valdir Lucas. O motorista ferido foi encaminhado para o hospital e passa bem. O atentado aconteceu na linha 21 da empresa Nossa Senhora da Conceição, quando o mesmo passava pelo bairro de Felipe Camarão. A vítima foi identificada apenas como Ailton.

Segundo Valdir, em julho de 2013, uma grande paralisação foi feita e o Governo tomou algumas providências para diminuir a insegurança, como a realização de blitz pela cidade. “A polícia estava fazendo blitz ostensiva nos ônibus e isso ajudou a diminuir o número de assaltos. Porém, a blitz não está mais acontecendo e queremos que ela volte”. Além disso, o “Botão do Pânico”, mecanismo que poderia ser acionado pelo motorista quando alguma ação criminosa estivesse acontecendo, teve que ser desativado, pois estava trazendo mais problemas do que soluções.

“Os bandidos já sabiam como funcionava essa botão do pânico. O que acontecia era que, quando o motorista acionava o botão, os bandidos ficavam ainda mais violentos. Muitos ameaçavam os funcionários caso eles apertassem o botão. Então esse mecanismo foi desativado, pois estava trazendo mais prejuízos para os funcionários e para os usuários”, frisou.

Toda a paralisação pegou a população de surpresa. Alguns usuários estavam revoltados com a situação, como o aposentado Jurandir Cavalcante. “Essa paralisação é um absurdo. Se eles querem parar, que avisem antes, pois a população pode se preparar e não de uma hora para outra, pegando todo mundo desprevenido e sem poder fazer nada. Eu estava com uns medicamentos para entregar para a minha família e agora estou no meio da rua sem poder fazer nada. É um absurdo”.

Já para a estudante Samara Santos, apesar de todo o transtorno, o protesto foi justo e pode trazer benefícios para todo mundo. “Realmente a segurança em todo o Rio Grande do Norte está grande. Andar de ônibus em Natal virou uma situação perigosa. Qualquer protesto que venha a exigir uma segurança melhor, acredito que é sempre bem vindo”. “Sei que essa paralisação causa transtorno para a população. Mas eles precisam entender que a vida de todo mundo está correndo perigo todos os dias. Isso precisa mudar e só vamos conseguir melhorias protestando”, finalizou Valdir Lucas. Durante as 2 horas de paralisação, o trânsito da avenida Bernardo Vieira, sentido Midway – Zona Norte foi desviado para a avenida Salgado Filho.

Compartilhar:
    • Paulo

      A morte do policial civil mostra o descaso deste governo do DE.Monio.