Mulher grávida acusada de adultério após ser estuprada sofre pena de morte

Estupro foi filmado e imagens publicadas nas redes sociais

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

Uma adolescente grávida de nove meses que afirma ter sido estuprada por sete homens no Sudão, está agora enfrentando pena de morte depois de ser acusada de adultério. A mulher etíope de 18 anos, que era casada, foi atacada quando tinha 3 meses de gravidez.

Ela procurava por uma nova casa em Omdurman, perto da capital Cartum, e um dos sete estupradores a levou para uma propriedade. Ela foi atacada por um grupo de homens, supostamente com idades entre 18 e 22, que se revezaram e a abusaram.
A agressão foi filmada por um dos criminosos e foi divulgada em mídias sociais via WhatsApp meses após o ataque. Quando o vídeo do estupro à tona, a mulher e os supostos estupradores foram presos acusados de distribuírem material indecente.
Um procurador-geral argumenta que a vítima deveria ter relatado o estupro no momento do ataque. No entanto, a mulher disse a seu advogado que o grupo de homens que a atacou a ameaçou de matá-la se ela contasse a alguém sobre o fato.
Dez pessoas, incluindo policiais que ajudaram a divulgar o vídeo, estão sendo julgados.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade