Mulheres adúlteras devem ser enforcadas e estupradores perdoados, diz político

Se for o primeiro-ministro, ele pretende desfazer a lei recentemente apresentada que fixa pena de morte para estupradores

65I67I76I536

O líder do Partido Socialista da Índia provocou indignação nesta sexta-feira (11) ao afirmar que mulheres que têm relações sexuais fora do casamento devem ser enforcadas e que homens que cometeram estupros devem ser perdoados.

Mulayam Singh Yadav, candidato ao governado do Estado de Uttar Pradesh, afirmou que, se fosse primeiro-ministro, iria desfazer a lei recentemente apresentada que fixa pena de morte para estupradores.

Referenciando um caso em Mumbai, no qual três homens foram condenados à morte por dois estupros coletivos, Yadav afirmou que eles não podem passar por isso, porque é aceitável que homens comentam erros.

— Homens são homens. A mulher sempre reclama que foi estuprada.

Os comentários de Yadav provocaram protestos de ativistas dos direitos da mulher e de seus adversários políticos. Logo depois dos protestos, ele voltou atrás e tentou mudar sua opinião.

— Pessoas inocentes não devem ser enforcadas. Aos estupradores deve ser dada uma punição mais severa.

As movimentações contrárias às afirmações de Yadav continuaram quando um outro líder do seu partido sugeriu que as mulheres estupradas também fossem enforcadas junto com o estuprador.

Segundo o jornal britâncio The Independent, quando questionado sobre os comentários de Yadav, o ex-representante de Uttar Pradesh, Abu Azmi disse que a violação deve ser punida por enforcamento, de acordo com o Islã.

— Aqui nada acontece com as mulheres, apenas com os homens, mesmo que a mulher seja a culpada.

Quando um repórter local fez mais perguntas sobre o tema, Azmi continuou irrefutável.

— Eu acredito que um estuprador deve ser enforcado cem vezes. A mulher também. Isso não deve ser permitido.

 

Fonte: Correio do Estado

Compartilhar:
    Publicidade