Na Bahia: Merkel recebe folha de candomblé para se “fortalecer”

A chanceler pediu para ela se aproximar e Lúcia entregou a folha dizendo que era uma "planta de cura e reza do candomblé, que trabalha muito com essa folha de Oxóssi"

45yy45y43y

Considerada pela revista Forbes a mulher mais poderosa do mundo, a chanceler alemã Angela Merkel, recebeu um “reforço” para consolidar sua posição: um ramo de “folha de Oxóssi”, dado pela produtora de eventos Lúcia Margarida Rocha Pita durante a visita que a primeira-ministra fez, na manhã dessa segunda, 16, a meninos e meninas baianas de uma escolinha de futebol que tem o patrocínio do governo da Alemanha.

Dona Lúcia driblou a segurança e acenou para Angela Merkel com o ramo nas mãos, quando ela ouvia explicações sobre o treinamento das crianças. A chanceler pediu para ela se aproximar e Lúcia entregou a folha dizendo que era uma “planta de cura e reza do candomblé, que trabalha muito com essa folha de Oxóssi”.

O tradutor tentava repassar as informações para Merkel que fazia gestos de aprovação com a cabeça. “Bota na água que ele vai criar raiz”, ensinou dona Lúcia, que pediu para que a primeira-ministra plantasse a folha no jardim da casa dela na Alemanha”. Depois, explicou que pegou a planta “no quintal da vizinha” e quando soube que a primeira-ministra estaria nas quadras de esportes do bairro da Boca do Rio resolveu levar o presente. “Espero que ela leve para a Alemanha para ficar mais forte”.

Angela Merkel passou meia hora circulando entre as crianças do projeto. Logo que chegou, bebeu água de coco e pareceu gostar muito. Depois fez perguntas sobre a escolinha, a Copa do Mundo e a vida na comunidade. Num momento, reuniu duas meninas e dois meninos no meio de um dos campos de barro. Com a ajuda do tradutor, indagou: “E existem muitas meninas que sabem jogar futebol?”. Eles disseram que sim, no que ela retrucou: “E além do mais, o que sabem fazer?”. Um dos garotos, João, apressou-se em responder: “Fazer faltas!”, provocando gargalhadas. Ao indagar para quem iriam torcer no jogo entre Alemanha e Portugal, gritaram que estariam ao lado da seleção da primeira-ministra.

O projeto Festival de Bola é um dos programas relacionados com a Copa do Mundo que procura integrar os países participantes do torneio. O convênio com o governo alemão na comunidade da Boca do Rio beneficia 200 crianças na faixa etária de 7 a 17 anos. Quatro professores de futebol brasileiros foram qualificados por professores alemães e passaram a dar aulas do esporte com técnicas da escola da Alemanha. As aulas durarão dois meses.

O diretor de Esportes da Secretaria Municipal da Educação, Téo Senna, informou que o programa abrange também os governos da Holanda e da França. “Esse é um dos legados mais importantes que a Copa trará para Salvador”, disse. Apesar da importância e da presença da mulher mais poderosa do mundo nos campinhos de barro da Boca do Rio, nem o prefeito ACM Neto (DEM), nem o governador Jaques Wagner (PT) apareceram para ciceronear Angela Merkel. Da prefeitura, além de Senna, estiveram presentes o secretário municipal de Educação, Jorge Khoury e a vice-prefeita Célia Sacramento, que chegou atrasada.

 

Fonte: A Tarde

Compartilhar:
    Publicidade