Na contramão da história

Por retratar com fidelidade o contexto socioeconômico da região nordestina, em contraste com outras regiões do país que atingem níveis…

Por retratar com fidelidade o contexto socioeconômico da região nordestina, em contraste com outras regiões do país que atingem níveis de desenvolvimento mais acelerados, a coluna republica do “Diário de Pernambuco”, edição de hoje, o artigo abaixo, redigido pelo atual superintendente da Sudene.

 

Luiz Gonzaga Paes Landim
Superintendente da Sudene
(Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste)

A descontinuidade administrativa na execução de planos, programas e projetos nos coloca na contramão da história. Temos dificuldades, contrariamente a nações modernas, de pactuar e fixar com a sociedade objetivos a serem alcançados dentro de uma visão de Estado, contentando-nos, quando muito, com os limites temporais de um mandato popular ou com o espaçamento entre eleições.

No caso do Nordeste, três circunstâncias devem ser levadas em conta: primeiro, uma estratégia de desenvolvimento regional não pode se ater ao artificialismo e à rigidez de nossa divisão macrorregional, vez que a região, e bem assim os estados, são por demais heterogêneos, com particularidades fisiográficas, econômicas, sociais e culturais que desconhecem, quando não atropelam, as fronteiras políticas oficialmente estabelecidas.

Nessa linha de pensamento, compartilhada por estudiosos do porte de Roberto Cavalcante, Clélio Campolina, Reis Veloso e outros, uma estratégia de desenvolvimento da região terá como pressuposto fundamental uma nova geografia regional: o Nordeste litorâneo, o Nordeste dos cerrados, a região do agreste, o Nordeste da agricultura irrigada, o Nordeste semiárido, a pré-amazônia maranhense, o Vale do Parnaíba, etc.

A segunda circunstância a ser considerada é que não basta um novo recorte regional sem que se dê corpo e consequência à Política Nacional de Desenvolvimento Regional, ainda hoje no campo das formulações, com baixo grau de institucionalidade e de internalização de seus conceitos por vastos segmentos políticos, sociais e intelectuais do país.

Para adquirir concretude institucional, a PNDR precisaria estar lincada à elaboração e à execução orçamentárias. Ela deveria ser o pano de fundo das decisões estratégicas, do alinhamento das instituições financeiras e da definição dos grandes programas nacionais.

A terceira circunstância a ser considerada na tentativa de se enunciar estratégias para o desenvolvimento do Nordeste, é a de que a nossa problemática não pode ser confundida com a de outras regiões pobres do Brasil, que são pobres porque ainda não foram ocupadas economicamente em sua plenitude, ou porque a ocupação é recente. O Nordeste está ocupado, sob certos aspectos, super ocupado, se levarmos em conta a disponibilidade de ativos ambientais, número de habitantes e outras limitações naturais e as decorrentes de nosso processo de colonização e formação econômica.

Aliás, as desigualdades regionais têm suas raízes no próprio processo de colonização e ocupação econômica. Desde a extração do Pau Brasil, as atividades econômicas tinham como foco o mercado internacional, e não a integração nacional dos mercados regionais, que funcionavam como ilhas econômicas.

Em tempos mais recentes, final do século XIX e início do século XX, a imigração e as relações assalariadas da economia cafeeira significaram uma verdadeira refundação econômica do país, com o Sul capitalista e o Nordeste semifeudal.

A incorporação do Nordeste à economia nacional, obra da Sudene, nem por isso foi pacífica. Ontem, como hoje, não soubemos contrapor nossa força política aos grupos econômicos e aos preconceitos dos que querem ter o Nordeste como reserva de mercado para os seus produtos.

 

BSPAR Delphi comemora entregas realizadas em 2013

- Honrando os compromissos assumidos desde sua entrada no mercado natalense, o grupo cearense BSPAR, que absorveu a antiga construtora Delphi Engenharia, finaliza o ano de 2013 com 140 unidades imobiliárias entregues, referentes a três importantes empreendimentos, entre eles o “Chatêau Saint Julien” (concluído em novembro último, com 80 apartamentos, localizado no bairro do Tirol).
- Ao todo, a BSPAR Delphi já realizou em Natal a entrega de oito empreendimentos, desde quando iniciou suas atividades no Rio Grande do Norte, totalizando 750 unidades residenciais.
- Em fevereiro de 2014 o grupo comemorará três anos de presença em nosso meio. E no decorrer do próximo exercício sua meta é entregar mais cinco condomínios na região metropolitana de Natal.

Descoberta acumulação de petróleo em águas profundas do litoral norte-rio-grandense

- Em nota divulgada ontem, a Petrobrás comunica ao mercado brasileiro a descoberta de uma acumulação de petróleo na concessão BM-POT-17, a primeira em águas profundas da Bacia Potiguar, na sua porção localizada no Estado do Rio Grande do Norte.
- A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço 1-BRS-A-1205-RNS (1-RNS-158), informalmente conhecido como Pitu, em profundidade de água de 1.731 metros e localizado a cerca de 55 quilômetros da costa, proximidades da divisa do Rio Grande do Norte com o Ceará.
- O intervalo portador de petróleo líquido foi constatado por meio de perfis e amostragens de fluido que serão caracterizados por análise de laboratório. O poço ainda está sendo perfurado a uma profundidade de 4.197 metros e a perfuração prosseguirá até 5.028 metros.
- A Petrobras é a operadora da concessão BM-POT-17, com 80 por cento de participação, em consórcio com a empresa Petrogal Brasil S.A., que detém 20 por cento do controle acionário.
- Em decorrência de processo de Farm-out, em andamento, e depois de obtida a aprovação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a BP Energy do Brasil Ltda. passará a atuar como concessionária e as participações das consorciadas no BM-POT-17 serão: Petrobras (40 por cento), BP Energy do Brasil Ltda. (40 por cento) e Petrogal Brasil S.A (20 por cento).
- O consórcio dará continuidade às operações para concluir o projeto de perfuração do poço até a profundidade prevista, verificar a extensão da nova descoberta e caracterizar as condições dos reservatórios encontrados.

Compartilhar: