Ainda é fraca a procura pelas camisas das seleções em Natal

Outros itens têm mais procura que as camisas oficiais, a exemplo da Brazuca: a bola oficial da Copa do Mundo

Venda-de-Camisas-de-selecaes-para-Copa-WR

Faltam menos de 30 dias para o início da Copa de Mundo no Brasil, mas os torcedores natalenses ainda não estão “vestindo a camisa” das seleções. De acordo com a gerente de vendas de uma loja de material esportivo no centro da cidade, Célia Alencar, comportamento dos consumidores de camisas oficiais está diferente das vésperas de outras copas. “Não sei se porque a Copa vai ser no Brasil, mas a procura não está muito forte esse ano. Ainda não é uma venda expressiva de Copa”, disse a gerente.

No entanto, ela espera que esse movimento se intensifique nas próximas semanas. “Quando a Copa é em outros países o aumento das vendas chega a 80% já nesse período”, informou. A esperança dela e dos vendedores é que as compras de camisas oficiais de seleções dobrem em relação às vendas nos períodos normais.

O preço da camisa oficial para adultos da Seleção Brasileira não é nada acessível: R$ 239,90. No entanto, as lojas também trabalham com réplicas com o preço mais em conta, R$ 79,90. “A oficial tem a tecnologia, a marca e a réplica é o mesmo modelo com um tecido diferente e sem a marca”, explicou a gerente. Somente as camisas que não são fabricadas pela Nike e, mesmo assim, trazem a marca desse fabricante, são consideradas falsificações.

O vendedor Gustavo Rangel garantiu a camisa 10, de Neymar, para o seu filho Matheus, de três anos. “Eu queria sem nome, mas ele é o craque da seleção”, disse o pai que também procurava para uma camisa para sua filha Millena de um ano. Pelo modelo infantil (réplica), Rangel desembolsou R$ 76,90. Atualmente, as camisas oficiais das seleções são fabricadas sem o número nem o nome dos jogadores. Mas a aplicação pode ser feita em serigrafias posteriormente à compra.

Além das camisas da Seleção Brasileira, a loja possui também camisas oficiais da Rússia, Estados Unidos, Alemanha, França, Argentina, Espanha, Japão e Holanda. De algumas delas, há disponibilidade do primeiro e segundo uniformes. Essas camisas são vendidas a partir de R$ 199,00. Conforme a gerente, a mais procurada é a da Argentina. “São exatamente os brasileiros que compram. Tem muitos admiradores. Não sei o que é, deve ser até por protesto mesmo”, deduziu a gerente. Mesmo assim, ela afirmou que as vendas não eram expressivas.

Outros itens têm mais procura que as camisas oficiais. É a Brazuca, bola oficial da Copa do Mundo. De acordo com Célia Alencar, já foram vendidas mais de 500 unidades desde dezembro do ano passado até este mês. “Essa está vendendo que nem água”, completou a gerente. A variedade de preços pode ser um dos atrativos dos produtos.

É possível encontrar a Brazuca em versões de R$ 79,00 R$ 99,00, R$ 129,00 e R$ 399,00. “A diferença é a costura e o material. Todas elas são oficiais, mas só a de R$ 399 é a única profissional”, explicou Célia Alencar. O modelo mais caro é costurado à mão, feito de microfibra e é o mesmo que será utilizado nas partidas do mundial de futebol nos próximos dias.

Num shopping da zona Norte de Natal, a procura é um pouco mais acentuada, mas ainda não corresponde à expectativa do estabelecimento. A camisa oficial da Seleção é vendida pelo mesmo preço da loja do centro da cidade. Segundo o vendedor Janiel Alexssander, 11 camisas oficiais foram vendidas em cerca de um mês. Já quanto as réplicas foram vendidas cerca de 20 peças no último mês, no valor de R$ 75,00. Nesta loja, as seleções estrangeiras não terão vez. “Nós não temos de outras seleções porque não trabalhamos com produtos de fora, só nacionais”, disse o vendedor.

Compartilhar:
    Publicidade