Natal é a 21ª melhor cidade do País para abrir franquias, diz associação

Dados da associação do setor revela a força econômica desse tipo de negócio na capital

Samuel-Gondim

Natal é a 21ª cidade brasileira, em um ranking de 200, com o melhor mercado para se empreender uma franquia, segundo o mais recente levantamento da Associação Brasileira de Franchising. Chega a ganhar, inclusive, de capitais como São Luiz e João Pessoa, e, também, municípios economicamente importantes, como São José dos Campos, em São Paulo; Nova Iguaçu, no Rio; e Londrina, no Paraná.

Até aqui, nenhuma novidade. Consumidora ávida de tudo o que aparece, Natal é mesmo um terreno fértil para franquias consagradas ou promissoras. Outra qualidade que se sobressai no mercado local é o potencial dos empresários potiguares para desenvolver franquias originais, com potencial de expansão.

“Se o sujeito inventou uma maneira melhor de produzir algo que já existe, mas de maneira inovadora, e sua fórmula caiu no gosto do público, já existe algo promissor para se trabalhar, aperfeiçoar e expandir”, diz o consultor Samuel Gondim, que entre as especialidades, está o de modelar franquias, ou seja, fazer delas um sucesso empresarial.

Empresas locais que expandiram suas marcas para outras capitais, Natal já tem algumas. Mas o goiano Gondim e o sócio potiguar Ítalo Andrade, um especialista em logística, não imaginavam que nessa tarefa encontrassem um número tão expressivo de negócios com capacidade de atuar de dentro para fora, ou seja, criando novas franquias para explorar o mercado regional e, quem sabe, nacional.

Nesse caminho, o que se verificou, foi a necessidade dessa clientela de se organizar, criar rotinas, planejar estratégias pontuais ou estruturais, buscar parcerias de rede, criar sistemas de informações, internalizar objetivos nos colaboradores.

“Temos visto um claro crescimento, não só nas buscas, mas no conhecimento dos nossos clientes e futuros clientes quanto ao modelo de franquias, suas vantagens e desafios”, diz Camila Ciccarelli, gerente da linha de franquias da empresa liderada por Gondim e Ítalo Andrade.

De fato, os interesses em prospectar franquias e viabilizá-las nos melhores pontos, e sob as condições mais vantajosas, abriu para os sócios as portas de um novo mercado que atuasse nos dois sentidos: de fora para dentro com franquias e de dentro para fora como novos franqueadores.

“Temos o caso de um cliente que criou um sanduíche totalmente artesanal, com insumos de fabricação própria como a própria carne de hambúrguer que ele usava, e vimos nisso a possibilidade de fortalecer uma marca e buscar adeptos comerciais para reproduzir esse desenvolvimento em outras praças”, pensa Gondim.

Os números não negam. Entre 2011 e 2013, a consultoria viu crescer em 100% todos os anos sua carteira de clientes, hoje com 23 empresas ativas. Boa parte disso, baseado na necessidade de empresas em revitalizar constantemente seus mercados, seja por meio de novos produtos ou serviços ou a partir de aperfeiçoamentos internos e novas parcerias.

“Temos um cenário bastante positivo em duas perspectivas: as grandes franqueadoras de marcas já conhecidas nacionalmente ou internacionalmente vêm aumentando o plano de expansão na região” reconhece Gondim.

Ele não tem dúvida de que as empresas potiguares estão se profissionalizando mais e expandindo seu negócio na forma de franquias. No entanto, admite, para que essa expansão tenha sucesso, é necessário que a empresa esteja com processos otimizados e estruturação organizacional bem definida.

“É interessante notar que as franquias se expandem também em direção ao interior do Estado, não apenas na capital Natal. Cidades como Mossoró e Parnamirim despertam interesse de franquias de diversos segmentos e a tendência é que o crescimento do setor nessas cidades seja cada vez mais forte”, afirma.

O mercado de franquias faturou, no ano passado, R$ 115 bilhões e fechou o ano com 114.409 unidades no Brasil. O Nordeste concentra 14,5% das unidades de franquia do país e a expectativa de crescimento para 2014 é de 9%, segundo ainda a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Compartilhar:
    Publicidade