Natal é sede mais violenta da Copa no Brasil, segundo as estatísticas

Em 10 anos a taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes na capital potiguar aumentou mais de 300%

Arena-das-Dunas-PM-JA--(99)
Foto: José Aldenir

Diego Hervani

Repórter

Natal é a cidade-sede da Copa do Mundo que teve o maior crescimento no índice de homicídios para cada 100 mil habitantes em 10 anos. Os dados são do jornal O Globo e foram baseados no Mapa da Violência 2014, divulgado na semana passada pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e que leva em conta os números de 2002 até 2012.

De acordo com o levantamento, o crescimento em Natal foi de 301,6%. Bem superior ao registrado em Salvador-BA, que teve o segundo maior aumento, com 161,3%. Fortaleza/CE, com 141,1%, Manaus/AM, com 113%, Curitiba/PR, com 29,8%, Brasília/DF, com 12,3% e Porto Alegre/RS, com 4,8%, completam a lista de capitais que receberão jogos da Copa do Mundo e que tiveram aumento na taxa de homicídios. Em contrapartida, Belo Horizonte/MG, Cuiabá/MT, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ e São Paulo/SP registraram uma diminuição nesse índice. A capital paulista foi a que teve a maior queda, com 70,7%.

Em 2014 os números de Natal também assustam. Apenas nos cinco primeiros meses do ano, 244 pessoas foram mortas, uma média de 48,8 por mês. O bairro com maior incidência de ocorrências é Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte, com 27 mortos, seguido por Felipe Camarão, na Zona Oeste, com 24.

A pesquisa ainda traz um alerta que o quadro de violência crônica nas capitais não é o único problema a ser levado em conta. Há a criminalidade nas periferias e regiões metropolitanas dessas capitais, que corre o risco de aumentar nos jogos, isso é algo “muito provável”, segundo o sociólogo Julio Jacobo, autor do Mapa da Violência. “A concentração de polícias estará nas zonas da Copa. E a criminalidade não vai para lá; estará nas cidades periféricas das capitais e em zonas menos protegidas das próprias capitais”, destacou.

O comandante geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, coronel Francisco Araújo, lembrou que policiais de todas as regiões e funções no Estado estarão trabalhando no Mundial e descartou que as outras áreas da capital que não estão diretamente relacionadas com o Mundial terão algum tipo de problema durante a competição. “Vamos ter os policiais que trabalham normalmente nas ruas, mas teremos policiais de outros setores. O pessoal do administrativo e operacional também irá ajudar. Eles irão receber para isso. Policiais que trabalham em hospitais, quartéis, rondas, também irão participar. O trabalho ostensivo que é feito no dia a dia vai continuar acontecendo. Temos um efetivo de 9.050 homens em todo o Estado. Então temos gente suficiente para deixar o Estado seguro durante todo o Mundial”, afirmou.

Ainda segundo dados do Mapa da Violência, o Rio Grande do Norte registrou o maior crescimento no número de homicídios, em dez 10 anos no Brasil, de 2002 a 2012. O aumento nos casos de assassinatos foi de 272,4%. Na sequência da relação estão Bahia (242,1%) e Maranhão (203,6%). Segundo os dados, no ano de 2002, o RN teve 301 homicídios. Já em 2012, esse número subiu para 1.121. Em 2014, esse número já ultrapassou os 740.

O Rio Grande do Norte ainda está na liderança do ranking quando se comparado os homicídios por 100 mil habitantes. A média em 2002 era de 10,6 mortes para cada 100 mil habitantes. Passados dez anos, essa média subiu para 34,7. Ou seja, uma evolução de 229,1%.

Compartilhar:
    Publicidade