Natal entra em acordo e reforça coleta seletiva com o Programa Água Brasil

Carlos Eduardo demonstrou satisfação com a parceria do Banco do Brasil que permitirá a melhoria do sistema de coleta seletiva bem como a garantia e a ampliação do trabalho das cooperativas

Foto: Alex Regis
Foto: Alex Regis

Em solenidade realizada no Palácio Felipe Camarão, nesta terça-feira, 01 de abril, foi assinado entre a Prefeitura do Natal, o Banco do Brasil, a Fundação Banco do Brasil e a Organização Não Governamental Ambientalista WWF Brasil, um acordo de cooperação técnica para execução do Programa Água Brasil. O objetivo é estimular a mudança de comportamento e valores em relação à conservação dos recursos hídricos e da natureza, engajando-os na busca de soluções sustentáveis para produção e destino dos resíduos sólidos urbanos.

O documento foi assinado pelo prefeito Carlos Eduardo, o superintendente do Banco do Brasil e Fundação Banco do Brasil, Sérgio Luiz Cordeiro de Oliveira e o analista do Programa de Conservação da WWF Brasil, Gustavo Lemos. O acordo visa à conjugação de esforços para promover, por meio de mútua e ampla colaboração, ações que possam contribuir para a implementação do consumo consciente e reciclagem de resíduos sólidos.

O Programa Água Brasil apoia Natal, capital pioneira da região Nordeste, a Companhia de Serviços Urbanos de Natal (Urbana) e as cooperativas de catadores de materiais recicláveis Coocamar e Coopcicla, melhorando a infraestrutura, a capacidade de coleta seletiva e a redução da quantidade de resíduos que vão para os lixões da cidade. Além da capital potiguar, também são contempladas com a ação as cidades de Rio Branco (Acre), Belo Horizonte (Minas Gerais), Caxias do Sul (RS) e Pirenópolis (Goiás).

Na ocasião, o prefeito Carlos Eduardo lembrou que ao assumir a prefeitura em 2003 encontrou um grave problema com o lixão de Natal no bairro de Cidade Nova. “Fiquei perplexo ao ver o lixo depositado dentro da área urbana de Natal e sendo disputado por crianças, jovens, idosos e animais”. Foi durante a sua gestão que foi construído o aterro sanitário da cidade e os catadores formaram uma cooperativa. “Deixamos a prefeitura em 2008 com 63% da cidade atendida, infelizmente a gestão que me sucedeu não deu continuidade a esse trabalho.”

Carlos Eduardo demonstrou satisfação com a parceria do Banco do Brasil que permitirá a melhoria do sistema de coleta seletiva bem como a garantia e a ampliação do trabalho das cooperativas. “Esta é uma solenidade absolutamente relevante para os destinos saudáveis da cidade do Natal. É um trabalho voltado para a geração atual e para as futuras gerações que eu espero que venham a fazer esse esforço melhor do que estamos fazendo agora. Se cada um fizer o que estamos fazendo haverá contribuição para um mundo melhor”.

A coleta seletiva cobre atualmente 46% da cidade, entre as zonas Oeste, Leste e Sul onde são retirados das casas, por dia, cerca de 250 toneladas de materiais recicláveis, informou o diretor de Planejamento e Gestão Ambiental da Urbana, Josivan Cardoso. Segundo ele, a cidade conta com duas cooperativas e 110 cooperados e que a meta é avançar e quebrar os desafios. Com a execução do Programa Água Brasil, anunciou, a coleta seletiva será ampliada para atender também a zona Norte perfazendo um total de 70% da malha de Natal.

“Natal é a prioridade do programa que terá como próximos passos a reforma das suas cooperativas, serviços de assessoria técnica e logística, além de ações de educação ambiental nos bairros onde a coleta seletiva é realizada por meio das cooperativas, disse Gustavo Lemos da WWF Brasil.

O superintendente estadual do Banco do Brasil no Rio Grande do Norte, Sérgio Luis Cordeiro de Oliveira, classificou o programa como fundamental para o desenvolvimento da cidade visto que trabalha diretamente com a inclusão social. “Natal foi à única cidade escolhida do Nordeste e a responsabilidade é muito grande. Sabemos que os cooperados são poucos, mas terão as melhores estruturas do país.” Sérgio Luís acrescentou, ainda, que a Coleta seletiva e mananciais de água é um passo importante para ser colhido no futuro e concluiu dizendo que Natal sai mais uma vez como pioneira na coleta seletiva.

Também participaram da solenidade, o gerente de Divisão da Unidade de Desenvolvimento Sustentável do Banco do Brasil, Eliézio Ferreira Vasconcelos, o presidente da Urbana, Jonny Costa, a vice-presidente da COOCAMAR, Rosileide Manço do Nascimento Santos e o vice-presidente da COOPCICLA, Francisco, além dos secretários de Gabinete Civil Sávio Hackradt e de Comunicação Social, Heverton Freitas.

Compartilhar: