Natal torce por Curitiba, mas se anima com possibilidade de ter mais jogos

A Arena das Dunas foi o primeiro dos seis estádios ainda em construção ou reforma para a Copa a ficar pronto após dois anos e cinco meses em obras e de ter sido um dos últimos a começar a ser erguido

Natal está no aguardo da definição da FIFA. Foto:Divulgação
Natal está no aguardo da definição da FIFA. Foto:Divulgação

O secretário para assuntos da Copa do Mundo no Rio Grande do Norte, Demétrio Torres, considerou positiva a possibilidade de Natal receber mais uma partida do torneio. Entretanto, Demétrio afirmou torcer para que Curitiba conclua a Arena da Baixada, que corre o risco de ser descartada pela Fifa devido ao atraso nas obras de reforma.

Embora não seja um “plano B” oficial, há a chance de que partidas que seriam disputadas no estádio do Atlético-PR sejam transferidas para outras cidades, uma delas Natal, que conta com a recém-inaugurada Arena das Dunas.

Para o secretário, não seria bom para a organização da Copa ter uma sede eliminada. “Algumas dessas 12 cidades sede ficarem de fora não é bom para o país. Não vai nos dar uma boa imagem, e eu acho que isso é um desgaste”, argumentou.

No entanto, Torres reconheceu que, para Natal, jogos adicionais representariam mais divulgação e interesse pela cidade. “É evidente que se nós pudéssemos isolar a sede Natal, se ela pudesse ter mais um jogo, seria bom. Mas, no geral, olhando como brasileiro, eu torço para que Curitiba conclua seu estádio e que todas as sedes estejam funcionando”, disse.

A Arena das Dunas foi o primeiro dos seis estádios ainda em construção ou reforma para a Copa a ficar pronto após dois anos e cinco meses em obras e de ter sido um dos últimos a começar a ser erguido. O atraso foi motivo de apreensão e desconfiança, agora transferidas à Arena da Baixada.

No dia 21 de janeiro, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, estabeleceu o dia 18 de fevereiro como prazo para que a capital paranaense avançasse com as obras de reforma do estádio do Atlético-PR o suficiente para manter a cidade como sede de quatro partidas da primeira fase do Mundial.

No Rio Grande do Norte, a situação é bem diferente. Neste fim de semana, a principal movimentação era de funcionários encarregados da limpeza, da instalação das últimas peças da cobertura, e da realização de testes da “estrutura, do gramado”, como enumerou o titular da Secopa-RN.

Ainda faltam ser colocados dez mil assentos provisórios, que aumentarão a capacidade para 42 mil pessoas, atendendo as exigências da Fifa. Torres garantiu, no entanto, que a partir desta segunda-feira, essa parte do projeto será iniciada, o que “conclui o estádio”.

Do lado de fora, operários trabalhavam na área externa à da praça localizada ao redor do Arena, espaço onde se planeja promover eventos como shows musicais. Usá-lo em atividades como essa, que vão além do futebol, está nos planos por se tratar de um projeto multiuso, como destacou Torres.

“Não é só uma arena para jogos de futebol, mas também para outros tipos de eventos, e mais do que isso: também é um centro de convenções onde você pode promover eventos em determinados espaços que vão variar de 200 pessoas a 40 mil”, destacou o secretário, fazendo referência à sala de coletivas de imprensa e à capacidade total do equipamento. “Existem espaços aqui para restaurantes, academias, escritórios, atividades empresariais, comerciais, e de serviços”, concluiu.

Se no que diz respeito ao estádio os serviços já foram terminados, nos arredores o trabalho é intenso nas ruas e avenidas. Dois viadutos, seis túneis, drenagem e requalificação de avenidas são tocados pela prefeitura que, segundo nota divulgada à imprensa, espera concluir tudo no mês de maio.

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade