Nélter Queiroz culpa Carlos Augusto pelo fracasso indiscutível do Governo Rosalba

Deputado estadual do PMDB questiona interesse em impeachment de Rosalba e pede renúncia de Robinson

rosalba-e-carlos-augusto-por-tribuna-do-norte

Alex Viana

Repórter de Política

Marido de Rosalba Ciarlini (DEM), o secretário-chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado, é o responsável pelo fracasso da atual gestão do Governo do Estado. Pelo menos, é isso que acredita o deputado estadual Nélter Queiroz, do PMDB. Segundo o parlamentar, é o companheiro de Rosalba que administra o Rio Grande do Norte, da mesma maneira que geria Mossoró quando a democrata era prefeita.

“Primeiro ao tipo de gestão de Rosalba, que quem comanda o governo é o seu esposo Carlos Augusto. Ele tem o seu estilo, que teve por vários mandatos com a sua esposa prefeita de Mossoró e ele é quem comandava, ela apenas ia para as ruas fazer visitas em obras, tirar fotografias, dar entrevistas, simpática para aqui, simpática para acolá e os compromissos não foram honrados com a população do Rio Grande do Norte”, afirmou.

Nélter criticou o modo centralizador de o DEM governar e afirmou que é Carlos Augusto quem de fato comanda o governo. Nélter também não isentou de culpa o chefe do gabinete pelo isolamento em que Rosalba se encontra no Estado e dentro do próprio partido, sem apoios para uma eventual candidatura da govenadora Rosalba Ciarlini à reeleição.

Sobre a “cassação branca” feita próprio partido, que não deverá permitir que Rosalba se candidate à reeleição, Nélter disse que governadora esqueceu que o mandato não pertence a ela, mas do Democratas. “Essa é a minha avaliação e a governadora Rosalba Ciarlini esqueceu que o mandato não era dela, era do partido. E aí houve essa decisão e internamente cabe ao DEM resolver esse problema”, declarou o deputado.

IMPEACHEMENT

Sobre o pedido de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini, enviado à Assembleia Legislativa pelo Movimento Articulado de Combate a Corrupção (MARCCO), Nélter disse que irá votar a favor, mas questionou se não haveria, por parte do Marcco, alguém interessado em que o vice-governador, Robinson Faria, do PSD, assumisse o poder – ele é pré-candidato ao Governo do Estado, justamente, contra o presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves, a quem Nélter apoia.

“Particularmente, sou a favor. Com todo respeito que eu tenho ao MARCCO, mas será que não tem alguém por trás também interessado nesse processo de impeachment para Robinson assumir?”, questionou o peemedebista. Vale lembrar que, nesta semana, o parlamentar já havia sido mais direto e, durante declaração feita no plenário da Assembleia Legislativa, afirmou que os apoiadores do impeachment de Rosalba queria ver Robinson no poder.

Para acabar com questionamentos e opiniões como essas, Nélter sugeriu que Robinson Faria renunciasse a vice-governadoria, para que o pleito para o governo seja mais democrático. “Não tenho medo, eu voto a favor, agora o bom mesmo é que Robinson, democraticamente, desse uma declaração: ‘Olha, eu vou renunciar, porque eu quero assumir com o voto do povo’; aí sim, isso era mais democrático, mais interessante, era mais justo, mais sensato”, sugere Nélter Queiroz.

ACORDÃO

Ainda segundo o parlamentar estadual, a possível disputa para o governo entre Henrique Robinson não será uma disputa desigual, criticando os que classificam de acordão a aliança do PMDB com partidos como o PR de João Maia e o PSB de Wilma de Faria – composta também por PROS, PV, PSDB, PEN e, possivelmente, pelo DEM. “Acordão como, se o PT, PSD que é um partido fortíssimo a nível nacional, está junto com o PC do B contra a pré-candidatura de Henrique? Muito pelo contrário, nós vamos disputar por igual, não existe acordão, existe aí você escolher o melhor”, declarou.

Em sua crítica aos adversários da pré-candidatura de Henrique, Nélter citou a deputada Fátima Bezerra, lembrando que na campanha para a Prefeitura de Mossoró, no mês passado (que elegeu Francisco José Júnior, do PSD), a pestista se uniu a políticos do DEM (como o deputado estadual Leonardo Rêgo) e do PMDB (ex-prefeita de Mossoró, Fafá Rosado) e ao próprio PSDB.

“Engraçado, Fátima fala isso e há pouco tempo ela estava abraçada com Leonardo Nogueira, dom DEM, em Mossoró, com o PMDB de Fafá, que é ex-prefeita de Mossoró, com vários vereadores do PMDB. Fátima esquece, como Mineiro também esquece e alguns petistas esquecem, que estavam atrás do PMDB”, acrescentou.

Compartilhar: