Servidores da saúde estadual farão passeata pelo abastecimento dos hospitais‏

A categoria também não aceita o corte na alimentação de servidores

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Concentração será às 9h, na Unicat. Categoria cobra o abastecimento dos hospitais e a manutenção das jornadas de trabalho do Plano de Cargos, entre outros pontos

Os servidores estaduais da saúde farão uma caminhada nesta quarta-feira (3) pelo abastecimento de medicamentos e materiais nos hospitais, contra as medidas de contenção de gastos do governo Rosalba e contra as mudanças na jornada de trabalho dos servidores. A caminhada terá início às 9h, na Unicat e seguirá em direção ao Centro de Reabilitação Infantil (CRI) e Hospital Dr. João Machado, ambos na Av. Alexandrino de Alencar.

Na quinta-feira passada (28), o Sindsaúde identificou a ausência de 50 tipos de medicamentos e materiais no Hospital Walfredo Gurgel e 28 tipos na Unicat. A própria direção da Unicat, em reportagem, noticiou a falta de 34 medicamentos. Porém, a Sesap tem dado informações erráticas. Na semana passada, havia divulgado a falta de apenas 1 medicamento na Unicat, já nesta terça-feira (2) publicou uma nota desmentindo a direção da Unicat e alegando a falta de apenas 10 medicamentos na unidade.

Em assembleia do último dia 29, os servidores aprovaram a greve, que será iniciada na próxima segunda-feira, 8 de setembro. Além da questão do abastecimento dos hospitais, os servidores reivindicam a manutenção da jornada de trabalho estabelecida pelo Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR), com plantões de 6h e 12h. Com as mudanças feitas pelo governo, em setembro os plantões passaram a ser de 8h diárias, com intervalos para almoço/descanso.

A nova jornada, além de prejudicar os servidores, já está prejudicando a população. Nesta segunda (1), o novo horário de funcionamento da Unicat (com início às 8h) deixou os usuários insatisfeitos. Muitos deles, principalmente os do interior, costumam chegar cedo, por volta das 5h, e enfrentam longas horas à espera de atendimento.

A categoria também não aceita o corte na alimentação de servidores e acompanhantes e reivindica o pagamento, sem atraso, das parcelas do 13º salário. Confira abaixo a pauta de reivindicações completa dos servidores:

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES

1. Garantia dos repasses para a saúde pública e aumento das verbas. Suspensão da prestação mensal de R$ 10 milhões para a OAS.

2. Manutenção da atual jornada de trabalho (plantões 6h e 12h) e do horário de atendimento na Unicat.

3. Manutenção dos plantões eventuais, nos setores onde não houve convocações, para não aumentar a sobrecarga e não prejudicar o atendimento. Novo concurso já, para acabar com o déficit de 2 mil servidores (sem contar com os médicos) e convocação dos servidores do interior.

4. Não ao corte na alimentação de servidores e acompanhantes.

5. Manutenção e ampliação do adicional de insalubridade. Em defesa dos direitos dos municipalizados e da isonomia.

6. Garantia de abastecimento dos hospitais.

7. Pagamento das parcelas do 13º salário, sem atraso.

Compartilhar: