Nissan cancela patrocínio ao Vasco devido a briga de torcidas em SC

A Nissan decidiu cancelar o contrato de patrocínio firmado com o Vasco da Gama. O anúncio foi feito nesta segunda-feira…

Ordem para cancelamento do patrocínio veio do Japão. Brigas foram o motivo. Foto:Divulgação
Ordem para cancelamento do patrocínio veio do Japão. Brigas foram o motivo. Foto:Divulgação

A Nissan decidiu cancelar o contrato de patrocínio firmado com o Vasco da Gama. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (16), após reunião de representantes da montadora e do clube carioca. A rescisão deve-se à briga entre torcedores organizados do Vasco e do Atlético-PR, em Joinville (SC), na última rodada do Campeonato Brasileiro (5 a 1 para o time paranaense). Não houve mortes, os quatro feridos já tiveram alta e os dois times sofreram punição em tribunal desportivo — mas as imagens do quebra-pau nas arquibancadas são fortes e rodaram o mundo.

Segue texto da nota oficial da montadora japonesa, divulgada na noite desta segunda:

Depois dos recentes atos de inaceitável violência, a Nissan informa que não manterá o contrato de patrocínio junto ao Club de Regatas Vasco da Gama. A direção da Nissan considera que os referidos atos de violência são incompatíveis com os valores e princípios sustentados e defendidos pela empresa em todo o mundo.

O patrocínio havia sido assinado em julho de 2013, e tinha previsão de duração de quatro anos.

A Nissan reforça seu compromisso com o esporte brasileiro como Patrocinadora Oficial dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e apoio a 30 atletas olímpicos e paralímpicos do Brasil.

O Vasco ganharia R$ 7 milhões anuais para estampar a logomarca da Nissan nas costas de seu uniforme até 2016 (o patrocinador “master” é a Caixa Econômica Federal). No sábado (14), o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, negara a possibilidade de rompimento, alegando que não havia recebido qualquer notificação sobre isso. As primeiras informações sobre o eventual rompimento surgiram na sexta-feira (13), mas sem a confirmação oficial que só veio agora. A pressão pelo cancelamento teria vindo da matriz, no Japão.

Segundo apurou, o fato de o Vasco ter sido rebaixado à Série B do Brasileirão não teve influência na decisão da montadora.

O diretor de marketing da Nissan, Murilo Moreno, chegou a dizer em novembro, quando o time carioca estava a um ponto da zona do rebaixamento, que disputar a segunda divisão seria “melhor ainda” para a marca, já que a exposição do Vasco na mídia tende a ser maior. “E ainda por cima vamos ser o patrocinador do acesso”, disse o executivo.

Roberto Dinamite e François Dossa, presidentes de Vasco e Nissan, celebram o patrocínio ao clube em julho; abaixo, torcedores uniformizados do clube carioca (que não ostentam a logomarca da Nissan em suas roupas; ela é visível apenas na camisa do jogador nº 13 do clube) atacam rival atleticano já caído no chão, na briga do último dia 8 em Joinville (SC)

No anúncio do acordo com o Vasco, François Dossa, presidente da Nissan do Brasil, disse que “o  esporte e o futebol, paixões do brasileiro, são caminhos que escolhemos para dar visibilidade à marca Nissan no Brasil”. E prosseguiu: “Escolhemos o Vasco por ser um clube de tradição, além das duas instituições terem em comum o apoio à diversidade, à responsabilidade social e à prática do esporte como plataforma de transformação social”.

NOVA SEDE
Ao longo de 2013, a Nissan transferiu boa parte de suas operações para o Rio de Janeiro, porque sua nova fábrica, que será responsável por nacionalizar modelos cruciais como March e Versa (hoje importados do México), está sendo erguida em Resende, região sul do Estado. Atualmente, a marca japonesa divide a sede (fábrica e escritórios) da Renault em São José dos Pinhais (PR).

Outra ação de marketing carioca da Nissan é o patrocínio ao desfile da escola de samba Acadêmicos do Salgueiro em 2014, cujo enredo aborda a sustentabilidade — um dos pilares da estratégia global da Nissan, que investe alto em modelos elétricos.

Como afirmou em sua nota, a Nissan também é a patrocinadora automotiva da Olimpíada de 2016, que será disputada na cidade do Rio de Janeiro.

Fonte:UOL

Compartilhar: