Somente na noite de domingo quatro pessoas foram assassinadas em Natal

Mais uma execução foi registrada na manhã de hoje pelo Itep no bairro de Ponta Negra

Final de semana foi de movimentação no Itep, na Ribeira. Foto: Divulgação
Final de semana foi de movimentação no Itep, na Ribeira. Foto: Divulgação

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) registrou 10 homicídios em todo o Rio Grande do Norte durante o fim de semana. Foram oito casos registrados em Natal e região metropolitana, e dois assassinatos na região oeste do estado.

Desses, quatro ocorreram na noite de ontem, apenas na capital. No final da manhã de hoje aconteceu mais um homicídio, desta vez na zona sul natalense.

César da Silva Melo, de 29 anos, era um corretor de imóveis e morreu após ser atingido por vários tiros disparos por dois homens que estavam no estacionamento do prédio em que ele morava, no conjunto Ponta Negra. César estava com a mulher e o filho quando dois indivíduos os abordaram e efetuaram os tiros.

Os homens também atiraram contra a mulher e o filho do corretor, mas ela conseguiu fugir e levar a criança. A PM não tem informações sobre o que teria motivado o crime.

Já na noite de ontem, um vigilante de uma empresa de segurança foi executado na Avenida Rodrigues Alves, em Tirol. Israelthon Carlos de Solto Cunha, de 29 anos, voltava para casa dirigindo um veículo Pálio, quando parou no sinal e foi alvejado na cabeça. De acordo com a Polícia, dois homens em uma moto foram os autores do crime. Israelthon morreu antes de ser socorrido.

A informação é que o vigilante trabalhava no Hospital São Lucas e foi seguido pelos assassinos desde a saída da unidade. Ao parar o veículo no sinal da Rua Alberto Maranhão acabou sendo atacado pelos bandidos, que fugiram em seguida, sem levar nada da vítima.

O segundo assassinato da violenta noite de domingo em Natal foi com um comerciante de 37 anos, morto a tiros na rua Coronel Coelho, no Bom Pastor, zona Oeste. Jaílton Nunes da Silva conversava com amigos quando homens em duas motos se aproximaram e iniciaram um sequência de tiros em direção a vítima.

O comerciante ainda tentou correr, mas foi alcançado e atingido nas costas e na cabeça.

A Polícia suspeita que a vítima possa ter sido morta por delatar a ação de traficantes da área. Diligências foram feitas mas nenhum suspeito foi preso.

Outro crime na noite de ontem aconteceu no conjunto Santa Catarina, Zona Norte de Natal. Um travesti, identificado como Alexandre Nascimento de Araújo, de 22 anos, conhecido pelo apelido de Cristal, foi alvejado por um homem que estava em uma motocicleta. De acordo com informações repassadas por populares para a Polícia, Cristal estava em uma esquina juntamente com outro travesti, que conseguiu fugir do local.

A quarta vítima fatal desta noite de domingo em Natal foi Flávio da Silva Júnior, morto no bairro de Felipe Camarão, na rua Padre Cícero.

Em Apodi, região oeste do estado, Francisco Geovane Gonçalves de Morais, de 32 anos, mas conhecido por Junior Cigano, estava na calçada de uma residência, quando dois homens se aproximaram em uma motocicleta e um deles atirou várias vezes.A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

 

Morre homem que usou menino como escudo

José Carlos Lopes Jerônimo, 18 anos, que usou um menino de dez anos como escudo durante tiroteio na cidade de Macaíba, em dezembro do ano passado, foi encontrado morto dentro da cela do Centro de Detenção Provisória da Zona Norte de Natal, na noite do último sábado (19). A Polícia Civil vai investigar o caso, que tem as hipóteses de suicídio e assassinato.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na delegacia de plantão da Zona Norte, José Carlos teria se enforcado usando uma corda feita de lençóis. A hipótese de assassinato também poderá ser considerada pela investigação da Polícia Civil, uma vez que a vítima dividia a cela com outro detento.

Em 12 de dezembro do ano passado, José Carlos Lopes Jerônimo se envolveu em um tiroteio e usou Cleiton Osório Mendes dos Santos, 10 anos, como escudo. A criança acabou sofrendo três tiros e morreu em via pública. O bandido acabou detido e autuado por homicídio.

O caso gerou muita revolta na cidade, motivando uma série de protestos pelas ruas em cobrança ao aumento do policiamento na cidade, que em 2013 registrou mais de 100 mortes violentas.

Compartilhar:
    Publicidade