Nosso herói

Luiz Fernando Veríssimo (Texto publicado em O Globo – 16/01/2014) Acho que falo por todos os gordinhos sem graça do…

Luiz Fernando Veríssimo
(Texto publicado em O Globo – 16/01/2014)

Acho que falo por todos os gordinhos sem graça do mundo, por todos os homens por quem ninguém dá nada, todos os com cara daqueles tios que nas festas de família ficam num canto e nem os cachorros lhes dão atenção, ou fazem xixi no seu sapato, todos os que se apaixonam, mas não têm coragem de se aproximar da mulher amada, quanto mais declarar sua paixão, todos os que são chamados de “chuchu”, mas não é um termo carinhoso, é uma referência ao legume sem gosto, todos os sem sal, os sem encanto, os sem carisma, os sem traquejo, os sem lábia — enfim, os sem chance — do mundo se disser que o François Hollande é o nosso herói. Ele é tudo que nós somos e não somos. É um dos nossos, mas com uma diferença: no caso dele era disfarce.

A companheira de Hollande, Valerie Trierweiler, que mora com ele no palácio presidencial e o acompanha em eventos oficiais e viagens, e que também é chamada de Rottweiler pela ferocidade canina da sua dedicação ao presidente, está internada com uma crise nervosa provocada pela revelação de que François tem uma amante, a atriz Julie Gayet, com quem costuma se encontrar num apartamento perto do palácio. Hollande já teve como companheira uma das mulheres mais interessantes da França, Ségolène Royal, com quem a fera teve quatro filhos. A pergunta que se faz na França é: o que exatamente esse homem tem que explique seu sucesso com as mulheres? A questão não tem nada a ver com direito à privacidade. Trata-se de uma curiosidade científica. Se o que ele tem, e disfarça com aquela cara, puder ser reproduzido em laboratório será um alento para a nossa categoria.

E nossa admiração só aumenta com os detalhes das escapadas de Hollande. Ele vai para seus encontros com Julie numa motocicleta. O Hollande vai para seus encontros com a amante montado numa motocicleta! Pintado no seu capacete, quem sabe, um galo, símbolo ao mesmo tempo da França e do seu próprio vigor. Ainda há esperança, portanto. Se ele pode, nós também podemos. Pois se François Hollande nos ensina alguma coisa é que biologia não é, afinal, destino.

 

ECONOMIA
É grande a expectativa na Codern para a implantação de uma linha Natal-Estados Unidos. A possibilidade é real e depende apenas de acertos entre a transportadora CGM e alguns empresários. Caso se confirme, pode representar um grande avanço para a economia potiguar, hoje dependente dos portos do Ceará para comercializar com o país mais poderoso do mundo.

IMAGINE NA COPA
Além disso, o presidente da Companhia Docas do RN, Pedro Terceiro Melo, está empenhado na articulação em busca da atração de mais navios cruzeiros para o Estado, o que será possibilitado a partir da conclusão do Terminal de Passageiros. Em foco, neste momento, os países que terão seleções jogando em Natal na Copa do Mundo, como México e Itália. Pode vir a ser mais um gol a favor do RN.

“GUERREIRA”
A ex-governadora Wilma de Faria retornou de mais uma visita a cidades do Seridó com muitas declarações de apoio na bagagem. Por onde andou, foram muitos os apelos por sua candidatura ao Executivo. Mas, a vice-prefeita de Natal fez questão de, mais uma vez, manter a chance aberta também para o Senado. Nos bastidores, cresce a articulação para unir PSB e PMDB. É a luta.

ESTRANHO
No mínimo esquisito. A Câmara Municipal de Natal realizará uma sessão extraordinária a pedido do prefeito Carlos Eduardo Alves, mas, ao contrário do esperado, não será para avaliar o projeto de reforma administrativa, enviado para os vereadores no final de 2013. Mas para discutir outros projetos surgidos ninguém sabe de onde. O que é que está havendo?

ERRO DE COMUNICAÇÃO
O presidente do Alecrim, Anthony Armstrong, cometeu uma falha simplória ontem, ao proibir a entrada da imprensa no estádio Ninho do Periquito, onde o Verdão empatou com o ABC. Ao responder de forma truculenta e agressiva as críticas recebidas durante o fim de 2013, quando deixou o clube com meses de salários atrasados, só contribuirá para aumentar, ainda mais, os comentários negativos a seu respeito.

VIDA LONGA A RAINHA
Pior ainda foi a frase dita por Armstrong aos jornalistas proibidos de entrar no campo de jogo, retratada no espaço Megafone da coluna de hoje. Ora, com todo respeito ao dirigente inglês, o Brasil não vive em uma monarquia e a senhora rainha da Inglaterra reside bem longe do Rio Grande do Norte. Aqui, o negócio é democracia.

FORÇA VERDÃO
Em tempo: é sempre importante se fazer justiça. Se o Alecrim voltou a uma posição de destaque no cenário esportivo potiguar, deve isso, sim, a Anthony Armstrong e ao patrocínio da sua Ecohouse. Até pouco tempo atrás, o Verdão enfrentava permanentes dificuldades para montar um time minimamente competitivo. Como bom torcedor, resta a este colunista apenas o direito de torcer, para que tudo dê certo para o Verdão.

PARLAMENTO
As Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte que não estiverem associadas à Federação das Câmaras do RN, devem se filiar para ter acesso às publicações gratuitas no Diário Oficial dos Municípios. A filiação deve ser feita após o recesso administrativo, entre os dias 27/01 a 31/01, na sede do órgão que fica na Prudente de Moraes.

GIRA MUNDO

Está na Folha de São Paulo de hoje. Condenado a 7 anos e 11 meses de prisão no processo do mensalão, o ex-ministro José Dirceu pode deixar o complexo da Papuda e migrar para o regime aberto após cumprir dez meses da pena, ou seja, ainda neste ano. A hipótese dependerá da autorização judicial para trabalhar, já solicitada, e da capacidade de Dirceu de gerenciar seu tempo entre o eventual trabalho durante o dia, estudos e leitura de livros -aproveitando assim todos os benefícios disponíveis para detentos do regime semiaberto para a redução de pena.

Compartilhar:
    Publicidade