NOTA

A ex-governadora Wilma de Faria achou pouco a lambança que vem fazendo em relação ao fato de ter sumido e…

A ex-governadora Wilma de Faria achou pouco a lambança que vem fazendo em relação ao fato de ter sumido e não assumido a Prefeitura de Natal e emitiu uma nota oficial para tratar do tema indigesto e recheado de poucas verdades.

VERDADE

Wilma afirma que não recebeu nenhuma comunicação da Prefeitura de Natal ou da Câmara, sobre o afastamento do prefeito Carlos Eduardo. É uma poucas vezes em que ela fala a verdade sobre esse assunto. De fato, a mãe de Lauro foi ignorada por seu companheiro de chapa e a Câmara errou ao não comunicar oficialmente que a cidade estava sem prefeito.

ELEITOREIRO

A nota de Wilma também fala que a ausência de Carlos Eduardo gerou até um mandado de segurança com “nítido viés eleitoreiro”. Quer dizer que querer que a vice-prefeita assuma seu mandato tem cunho eleitoreiro? Deixar a cidade sem prefeito, justamente por não querer assumir com medo da lei eleitoral não é mais eleitoreiro?

RESPEITO

Wilma de Faria exagera na avaliação da inteligência de seus conterrâneos, quando imagina que todos devem ser idiotas para acreditar no motivo que teria evitado sua posse: “Mesmo antes de tomar conhecimento, pela imprensa, da viagem do Prefeito ao exterior, já havia agendado compromissos que, inclusive, me deixarão ausente da cidade até o próximo dia 28/04/2014, o que, por si só, inviabiliza as práticas de quaisquer atos administrativos pertinentes ao cargo de Prefeito de Natal até a citada data”.

AUSÊNCIA

Wilma de Faria concedeu entrevista na quinta-feira, aqui em Natal e se pronunciou a respeito da ausência de Carlos Eduardo. Naquele momento, disse que não via ‘necessidade’ de assumir a Prefeitura. Nada falou sobre viagem ou compromissos.

SAÚDE

A filha de Wilma, deputada Márcia Maia, em entrevista ontem ao Jornal Verdade, da RedeTV RN, disse que a mãe precisou fazer “uns exames de saúde” fora do Estado. Ou seja: Wilma não acredita muito na rede de saúde da capital que governou.

PROBLEMAS

O fanatismo político de uns, associado ao oportunismo da paixão remunerada, terminou tratando o fato de que a capital de um Estado pode ficar 12 dias sem prefeito, apesar da presença de toda a linha sucessória, que sumiu em silêncio e contou apenas com o respaldo de alguns que viram só candidatura no fato.

IMPEACHMENT

O deputado Nélter Queiroz foi coerente ao seu discurso de que o Estado do RN está um caos por conta da atual gestão de Rosalba Ciarlini. Por isso, o filho de Nelson afirmou que vai votar favorável ao Impeachment de Rosalba. Sintonia com a sociedade.

COERÊNCIA

Como será que votarão o filho de Garibaldi e a filha de Wilma no processo de Impeachment? Se votarem contra o Impeachment, fraturam o discurso da campanha e sepultam a coerência, além do desgaste perante a opinião pública. Como será o voto de Walter Alves e Márcia Maia?

FUNDAMENTO

O argumento usado por alguns deputados em outros processos de Impeachment, de que não havia fundamentação jurídica, perde força nesse caso do pedido apresentado pelo MARCCO. O documento foi elaborado com base na legislação e está bem fundamentado. Só não vota quem está no esquema da Rosa.

IMPROBIDADE

O Ministério Público vai ingressar na tarde de hoje com mais uma ação por improbidade administrativa contra a governadora Rosalba Ciarlini. Desta vez, o motivo foi o jogo de cartas marcadas que levou a Associação Marca a administrar o Hospital da Mulher, em Mossoró. E ainda há quem diga que a gestão Rosalba não teve escândalo.

Compartilhar: