Novo ‘supervírus’ pode atacar computadores de empresas e governos

Conhecido como Careto, vírus atua como uma ferramenta para roubar informações e danificar computadores

Ataques ocorrem por meio de e-mail com links para escanear os dados. Foto:Divulgação
Ataques ocorrem por meio de e-mail com links para escanear os dados. Foto:Divulgação

A empresa de pesquisa de segurança digital, Kaspersky Lab, revelou um novo supervírus, o Careto, um conjunto de ferramentas que possibilita não apenas uma piora nos computadores, mas também coletar uma grande quantidade de seus dados. De acordo com matéria publicada, o vírus funciona por spear phisinhing – um e-mail originário de um endereço conhecido, mas na verdade é uma porta de entrada para o roubo de informações. Ao clicar nos links do e-mail, ele levará a um site que coletará os dados do PC.

O vírus tem como alvo grandes empresas e órgãos governamentais; e foi criado para atacar diversos  sistemas operacionais – Windows, Mac OS X e Linux, além dos sistemas para smartphones iOS e Android. Segundo o relatório da Kaspersky, o Careto pode interceptar “tráfego de rede, o número de vezes que uma tecla é acionada, conversas por Skype, tráfego Wi-Fi, tirar informações do aparelho Nokia, ver as chaves PGP (encriptação e descriptografia de dados) e monitorar os arquivos”.

A Kaspersky Lab não conseguiu descobrir qual a fonte do Careto. Contudo, o alto grau de complexidade do software a desconfiança é que algum serviço nacional de inteligência (espionagem) tenha criado o sistema. Também foram dados em espanhol na criptografia do programa.

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade