Novo T4, da Troller, ganha design mais moderno e outras surpresinhas

Modelo projetado no Brasil é totalmente renovado e agradou bastante aos adeptos do offroad

size_590_novotrollert4-1

A Troller lançou oficialmente neste sábado (31), em São Paulo, a nova geração do seu utilitário T4. Totalmente remodelado, o modelo ganha novo visual externo e interno, além de plataforma atualizada e motor a diesel 3.2 litros com transmissão manual de seis marchas.

No design o utilitário ganha protetor frontal, estribos laterais e para-lamas integrados à carroceria, teto com duas janelas envidraçadas “sky-roof”, bagageiro com barras transversais ajustáveis e aerofólio na tampa traseira com luz de freio integrada, capô com porte central elevado, portas com soleiras e rodas de 17 polegadas.

Pensando no seu viés fora de estrada, a Troller planejou o modelo com grandes ângulos de entrada e saída, pneus de uso misto, pensando no uso no dia a dia nas cidades, tomada de ar em posição elevada com preparação para receber um snorkel, aumentando a profundidade de imersão do carro.

No interior foram usados no novo design materiais de alta resistência e fácil limpeza, algo muito bem-vindo para veículos fora de estrada, bancos com regulagem e painel de instrumentos detalhados. O utilitário é produzido na fábrica em Horizonte, no Ceará.

“É um veículo totalmente novo criado para exceder desafios, ainda mais robusto, com um conjunto mecânico a toda prova e design moderno e marcante”, revelou Wagner Conceição, Gerente Geral da Troller. “O projeto é totalmente nacional e o novo Troller T4 respeita a sua herança e vocação para uso em todos os terrenos”, completou Wagner.

“Raros veículos no mercado brasileiro e pouquíssimos no segmento apresentam um conjunto tão impressionante como o Novo Troller T4. Em breve lançaremos este veículo nas revendas”, revela Wilson Vasconcellos Filho, Gerente de Vendas, Marketing e Serviços da Troller.

Segundo a montadora o veículo rodou mais de 200 mil quilômetros em diversas condições de clima e terreno em diferentes regiões do País e nas pistas do Campo de Provas de Tatuí, em São Paulo, durante os testes, além de cerca de 53 mil horas de desenvolvimento virtual e 22 mil horas de testes virtuais para garantir elevados níveis de resistência e confiabilidades.

 

Fonte: Exame

Compartilhar:
    Publicidade