Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar promove melhorias no Walfredo Gurgel

Ainda em 2013, após a capacitação das equipes da classificação de risco, o Walfredo Gurgel adotou o Protocolo de Manchester como parâmetro para classificar a gravidade dos seus pacientes

Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. Foto:Divulgação
Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. Foto:Divulgação

Completando um ano de atuação neste mês de março o Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH) do Hospital Walfredo Gurgel vem realizando uma série de melhorias na unidade, com destaque para a implantação do Kanban – que permite identificar visualmente o tempo de permanência do paciente atendido no hospital –, as oficinas de esclarecimento da política do Programa SOS Emergências, a elaboração dos fluxos de atendimento por especialidade e a adoção do Protocolo de Manchester como parâmetro para classificar a gravidade dos seus pacientes. Juntas, essas ações mudaram parâmetros e a forma de acolher e assistir aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no Walfredo Gurgel.

Criado com a implantação do SOS Emergências, o NAQH é composto por gestores, chefes e gerentes, e vem elaborando metas e apresentando resultados que são mostrados e discutidos por todos os participantes.  O núcleo atua junto aos servidores de cada setor do Hospital, colhe informações, avalia os dados obtidos e aplica ações visando a elevação da assistência hospitalar, de modo a integrar os funcionários a uma nova metodologia de trabalho.

Entre as melhorias implantadas pelo grupo está a utilização da ferramenta Kanban. O método consiste na fixação de placas contendo o nome do paciente, o número do leito e uma cor. Para cada paciente com até 24h de internamento o Kanban é marcado com a cor verde. A cor amarela é para aqueles pacientes com até 48h e a vermelha para aqueles acima de 72h. Dessa forma, é possível identificar se, devido à complexidade do quadro, a permanência em relação à resolutividade está ideal. Com isso, espera-se evitar estadias mais longas que o necessário.

Ainda em 2013, após a capacitação das equipes da classificação de risco, o Walfredo Gurgel adotou o Protocolo de Manchester como parâmetro para classificar a gravidade dos seus pacientes. As diretrizes do protocolo dividem o atendimento em categorias e o subclassificam de acordo com uma cor que está diretamente associada à gravidade do quadro do paciente e o tempo necessário até que ele seja atendido.

O grupo gestor também vem elaborando fluxos de atendimentos para serem implantados no HMWG e, dessa forma, tem agilizado e facilitado o trabalho das equipes médicas.  Até o momento já foram traçados fluxos como o da abordagem inicial do Acidente Vascular Cerebral (AVC), da cirurgia geral, do paciente com de abdômen agudo, entre outros.

SOS Emergências – Qual o seu papel?

O Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, por meio do Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH), realiza a partir desta sexta-feira (7), às 9h, no auditório, a primeira de uma série de oficinas sobre o tema “SOS Emergências – Qual o seu papel?”. As capacitações são abertas a qualquer profissional do hospital e continuarão acontecendo até que os mais de 2.000 servidores tenham participado.

Segundo a diretora geral do HMWG, Maria de Fátima Pereira Pinheiro, “essas discussões tem como objetivo conscientizar nossos funcionários sobre as mudanças ocorridas no hospital nos últimos doze meses, as novas ferramentas de gestão que estamos utilizando, como o Kanban, e como ele é parte fundamental neste processo de mudanças e avanços que estamos construindo desde 2013”.

As oficinas discutirão pontos como o Programa SOS Emergências, o NAQH, a classificação de risco e o Kanban. Após, será aberta a pauta para discussão entre expositores e participantes.

“Queremos muito que os servidores falem, participem ativamente destas oficinas, que exponham suas opiniões. Este será o momento de sabermos como eles enxergam e entendem as ações que implementamos, o que o SOS Emergências significa para o hospital e como eles esperam que estas mudanças melhorem a assistência no Walfredo Gurgel”, finaliza Fátima.

Compartilhar: