O agora no Nordeste – Walter Gomes

Na região, que reúne 27% dos eleitores do país, Dilma Rousseff continua muito bem situada nas intenções de voto. Lá,…

Na região, que reúne 27% dos eleitores do país, Dilma Rousseff continua muito bem situada nas intenções de voto. Lá, em 2010, ela deixou na poeira os concorrentes José Serra (PSDB) e Marina Silva (então filiada ao PV). Portanto, a vantagem se repete. O atestado é de institutos locais e, também, dos que atuam nacionalmente, como Datafolha, Ibope e o confuso Vox Populi.

Os desafiantes da petista estão mal posicionados no cenário desenhado até a véspera da abertura oficial da campanha.

Contabilizados os índices nos nove estados, a recandidata tem mais que o somatório dos apoios à concorrência, embora haja crescimento de Aécio Neves (*), além da liderança de Eduardo Campos em Pernambuco.

Decepciona, porém, a cotação do nordestino. Até o resultado da última pesquisa de opinião – números divulgados nessa quinta-feira -, ele está na frente apenas no estado que governou em dois períodos consecutivos.

(*) O tucano mineiro conquista espaços consideráveis na Bahia, onde é apoiado pelo DEM e PMDB, e no Ceará, ajudado pelo peemedebismo e o tucanato unido. Nessas unidades federativas, seus apoiadores lideram o embate para governador e senador.

Poder de decisão

Fotografia eleitoral em três estados do Sudeste.

Para governador, o PSDB lidera em São Paulo (32 milhões de pessoas com direito ao voto), o PT está na ponta em Minas Gerais (15,2 milhões) e, no Rio de Janeiro (12,2 milhões), o PR.

Geraldo Alckmin (foto) ganha dois troféus paulistas: líder nos levantamentos de opinião e favorito a renovar o mandato. Paulo Skaf (PMDB) cresce, mas o representante do PT – Alexandre Padilha – não colabora para garantir o segundo turno.

Nas Gerais, Fernando Pimentel partiu bem. Lá, entretanto, a influência do PSDB pode mudar o posicionamento dos candidatos. O tucano Pimenta da Veiga está no jogo.

Anthony Garotinho, ex-governador fluminense, vive, sem segurança de permanência, a fase de líder que divide com Marcelo Crivella (PRB). Os dois são acossados pelo peemedebista Luiz Fernando Pezão e o petista Lindbergh Farias. No Rio, a primeira fase do pleito é apenas um treino. Jogo para valer só no segundo tempo.

A nova tentativa

Quadro pré-eleitoral em Rondônia (*).

Expedito Júnior (PSDB), impedido de se candidatar a governador em 2010, acusado de comprar votos, tenta concorrer quatro anos depois.

O ex-senador, conforme pesquisa de instituto estadual, derrotaria, fosse hoje a eleição, Confúcio Moura (PMDB), em campanha para renovar o mandato.

(*) 1,1 milhão de eleitores.

- Sedes dos escritórios centrais de presidenciáveis mais bem avaliados. Dilma Rousseff, mineira-gaúcha, em Brasília; Aécio Neves, mineiro-carioca, Rio de Janeiro; Eduardo Campos, pernambucano, em São Paulo; Everaldo Pereira, carioca, na capital fluminense.

- Dia 17, a Câmara dos Deputados recebe o presidente da China, Xi Jinping. Ele vai falar, da tribuna da Casa, sobre as relações de seu país com o Brasil.

- Interrogado se tiraria licença para dedicação à campanha de Aécio Neves, de quem é companheiro de chapa, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) respondeu de bate-pronto: “Renuncio em 31 de dezembro para assumir a vice-presidência da República.”

- Cai a rejeição à deputada Fátima Bezerra (PT-RN), candidata ao Senado. Não resulta, no entanto, aumento na intenção de voto. Quem lidera a disputa à vaga do peemedebista Garibaldi Alves (o pai) é Wilma de Faria (PSB).

-Levantamento da revista ‘Exame’ revela o descontentamento de empresários com o quadro do país. Dos 178 consultados, 52% dão nota de zero a três – cinco a máxima – à política econômica do governo Rousseff. Problemas apontados: carga tributária (53%), inflação (42%) e atuação administrativa (39%).

-Que seja agradável seu fim de semana. Segunda-feira, Joaquim Pinheiro assina a coluna. Até terça.

- Para refletir: “A liberdade é bonita, mas não infinita. Me acredite, a liberdade é a consciência do limite” (Versos de uma canção de Jorge Mautner em parceria com José Miguel Wisnik, ambos brasileiros).

Compartilhar: