O amanhã será outro dia

Por alguns motivos, incluso o desinteresse de quase metade das 140 mil pessoas aptas ao voto, a eleição suplementar desse…

Por alguns motivos, incluso o desinteresse de quase metade das 140 mil pessoas aptas ao voto, a eleição suplementar desse domingo, em Mossoró, não serve de parâmetro à disputa de outubro.

Uma constatação é inequívoca, entretanto. Os associados Henrique Eduardo Alves (PMDB), candidato a governador, e Wilma de Faria (PSB), postulante ao Senado, precipitaram-se a apoiar uma candidatura ‘sub judice’. Faria cumpriu missão partidária, sublinhe-se. Alves confirma a sua tendência ao açodamento, registre-se.

Cenário de agora

Trio pluripartidário lidera pesquisa no Ceará.

Fosse hoje o comparecimento às urnas, a presidente Dilma Rousseff (PT) derrotaria, por diferença elástica, os desafiantes.

O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (foto) seria o próximo governador do estado.

Tasso Jereissati (PSDB) reconquistaria cadeira de senador.

Lenha na lareira

Oficialmente, o governo tem ampla maioria na CPI da Petrobras.

Apesar da disparidade numérica na composição do colegiado, o pequeno bloco da oposição “não dá o braço a torcer”, conforme o senador pernambucano Jarbas Vasconcelos, do PMDB dissidente.

O vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), diz que a bancada opositora “jamais dará demonstração de fraqueza”.

Mais:

“Embora em desvantagem, por sermos minoritários, vamos colocar o governo na roda.”

A sondagem de opinião foi contratada pelo ‘Diário do Nordeste’, do grupo de comunicação Verdes Mares. O conglomerado, com sede em Fortaleza, tem na presidência Yolanda Queiroz, sogra de Jereissati.

Perguntar não paga imposto

Curiosidade apenas

E se ocorrer na sucessão presidencial o que Aécio Neves (PSDB) admite “ser possível”, mas poucos creem: a promoção dele e de Eduardo Campos (PSB) ao segundo turno?

Leitura dinâmica

- O economista Marcelo Neri assumiu a titularidade da Secretaria de Assuntos Estratégicos, pasta com status de ministério. Ele era presidente do Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas), à época da divulgação de percentual errado sobre a tolerância dos brasileiros à agressão contra mulheres.

- Inaugurações de estádios de futebol levam a presidente da República a São Paulo (quinta-feira) e a Curitiba (sexta).

- Em São Paulo, o deputado Paulo Maluf (PP) repete o apoio a petista indicado por Lula da Silva. No pleito de 2012, votou em Fernando Haddad para a prefeitura paulistana. Neste 2014, fecha com Alexandre Padilha para o Palácio dos Bandeirantes.

- Como sempre ocorre às segundas-feiras, a coluna de ontem foi redigida por Joaquim Pinheiro.

- Jansen Leiros lança o livro ‘O planeta azul – Sua reciclagem em marcha’. A partir das 19h de 14 de maio, na Academia Norte-Rio-Grandense de Letras, ele autografa a obra.

- Marcada para esta sexta-feira a divulgação de pesquisa do Datafolha para o Palácio do Planalto. Trata-se de tira-teima a respeito da queda de Dilma Rousseff nos índices de intenção de voto.

- Se a pena é branda, a propaganda eleitoral antes do prazo legal passa a ser rotina. Os três principais candidatos ao Palácio do Planalto – Aécio, Dilma e Eduardo – são investigados pelo Ministério Público Eleitoral.

- Luiz Sérgio (PT), fluminense de Angra dos Reis, deve ser eleito primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados.

- Ultrapassa o previsto pelo mercado o desempenho negativo do comércio varejista. Empresários do setor esperam “dias piores” no segundo semestre.

- Incentive seu filho a frequentar livrarias, fascinantes templos do saber.

- Amanhã, a Câmara dos Deputados relembra, em sessão solene, a campanha Diretas, Já. O movimento ganhou as ruas, fundou a Nova República e iniciou o retorno dos militares aos quarteis. Foi há três décadas.

- Para refletir: “As palavras estão aí, cobertas de poeira, esquecidas, marginalizadas. É preciso limpar o pó, estar aberto à sua beleza e à força da sua sugestão” (Mia Couto, escritor moçambicano).

Compartilhar: