O fato e o entorno

Dilma Rousseff se comunica mal e interpreta equivocadamente a resposta dos auditórios – abertos ou fechados. No caso de Araguaína,…

Dilma Rousseff se comunica mal e interpreta equivocadamente a resposta dos auditórios – abertos ou fechados. No caso de Araguaína, norte de Tocantins, aonde foi no fim da semana, ela se superou na inversão de conteúdo e valor.

A presidente da República não foi vaiada por “gente nascida em berço esplêndido”, como bradou no conjunto habitacional. Representantes desse sofisticado estrato social não frequentam comícios de distribuição de casas populares.

Quem a apupou foi parte da gente simples que recebia a oferenda do governo. Por que homens e mulheres agiram assim? Parece curiosa a pergunta, mas natural a resposta. É desrespeitoso o número de moradias entregues com defeitos dos mais diversos – da estrutura ao acabamento.

Não se discute a importância social do projeto Minha Casa, Minha Vida. Questiona-se, sim, a repugnante malandragem do uso de material inconveniente, além do desvio de dinheiro para pagar a taxa da corrupção.

Versão que vale

Anote para conferir no dia das convenções nacionais.

Fernando Henrique Cardoso (foto) não será candidato a vice de Aécio Neves nem Lula da Silva formará chapa com Dilma Rousseff.

Os dois ex-presidentes do Brasil participarão da campanha de seus pupilos como cabos eleitorais.

Lula mais presente nas andanças.

luta de gaúchos

Sucessão no Rio Grande do Sul.

Dois dos quatro ou cinco postulantes ao Palácio Piratini já confirmaram a presença no embate.

O prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), foi o primeiro a declarar-se adversário da recandidatura que o governador Tarso Genro (PT) anunciara.

Aguarda-se para o próximo mês a manifestação da senadora Ana Amélia (PP), apontada nas pesquisas de opinião como a principal concorrente de Genro, petista forte em dois quesitos: bravura e honradez.

Na onda digital

Os dez parlamentares brasileiros de maior trânsito na internet.

A pesquisa, uma combinação de critérios, é assinada pela Medialogue. A empresa informa que “analisou 75 mil informações”.

Seis dos destaques são senadores. Seguem na ordem de votação, de cima para baixo: Eduardo Suplicy (PT-SP), Paulo Paim (PT-RS), Roberto Requião (PMDB-PR), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Romero Jucá (PMDB-RR).

Respeitado o mesmo critério para os quatro deputados: Anthony Garotinho (PR-RJ), Renzo Braz (PP-MG), Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) e André Moura (PSC-SE).

 

- Marcada para 14 de abril, em plena lua cheia, o anúncio oficial da chapa presidencial do PSB. Enfim, chegou ao acordo a dupla que vai pedir voto: Eduardo Campos e Marina Silva. Será em Brasília, mas falta definir o auditório.

- Legislativo (bancada feminina no Congresso) e Executivo (Ministério das Mulheres) anunciam parceria na campanha: Mais Mulheres no Poder.

- Quinta-feira, a executiva do PT determina às seções regionais adesão compulsória à política nacional de alianças da sigla.

- Vem aí pesquisa do Ibope para a Presidência da República. Levantamento até quinta-feira. Divulgação no dia seguinte ou sábado.

- Livro na praça: ‘O mundo é plano – Uma breve história do século 21′. Para o autor, Thomas L. Friedman, vive-se o período da ascensão dos países emergentes, “o que é diferente da velha globalização”. Páginas: 480. Preço: R$ 41.

- Itamaraty informa: Paulo Cesar Meira de Vasconcellos segue para Abu Dhabi. Vai representar o Brasil nos Emirados Árabes Unidos.

- Gabriel Rocha era na manhã desta terça-feira o favorito para o Ministério dos Direitos Humanos. Maria do Rosário deixa a pasta para buscar a renovação do mandato à Câmara dos Deputados.

- Para refletir: “Guardo até hoje um ódio quase infinito em relação à imprensa” (Martin Andersson, ator sueco na juventude e, agora, professor na Universidade Federal Fluminense, em Niterói).

Compartilhar: