O perigo de um cancerígeno por trás do pão francês e da batata frita

Teste mostra que esses alimentos apresentam grande teor de acrilamida: uma substância cancerígena

Um novo teste chegou a conclusões nada animadoras para quem não abre mão de um pão francês moreninho no café ou de uma calorosa porção de batata frita no almoço. A Proteste (Associação de Consumidores) constatou os altos níveis de acrilamida – substância química formada durante o aquecimento de alimentos ricos em carboidratos a temperaturas acimas de 120°C – que esses produtos podem oferecer.

hrthrt

Classificada como um provável cancerígeno pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, ainda não há consenso sobre o limite seguro para o consumo. Por isso, conforme alerta a pesquisadora da associação Fernanda Ribeiro, é preciso ingerir produtos como biscoitos doces e salgados, pão e torrada com extema moderação, além de manter atenção redobrada com as marcas. Para isso, o trabalho também avaliou quais rotúlos apresentam níveis mais elevados de acrilamida.

O teste avaliou a presença da substância em 51 alimentos. Os pesquisadores também perceberam que, dentro de um mesmo tipo de comida, existem produtos com diferentes teores da substância. É o que acontece, por exemplo, com o biscoito doce: o Passatempo apresenta menos de 100 microgramas por quilo enquanto o Adria tem 1.110.

Fernanda sugere que para fugir da acrilamida é fundamental apostar em uma alimentação saudável. Optar por batatas cozidas é sempre melhor do que as fritas, pois dispensam o óleo. Mas, ao cozinhar ou fritar, a dica é deixá-las com uma cor amarelo dourado – a cor marrom, segundo os pesquisadores, pode ser um indicador da presença de acrilamida.

rthrt

- Ao retirar da geladeira, não leve imediatamente a porção de batata frita para o óleo quente. Esse choque de temperatura acelera a formação da acrilamida. Além disso, o pão francês mais moreno também pode apresentar maior quantidade das substância. É melhor optar pelos mais clarinhos – sugere.

Na dieta do dia a dia, a Proteste sugere que sejam incluidas carnes magras, aves, peixes, feijão, ovos e nozes. Alimentos pobres em gorduras saturadas, gorduras trans, colesterol, sal e açúcares devem ser reduzidos. Frutas, legumes, grãos integrais e produtos lácteos sem gordura ou com pouca gordura estão na lista do que deve ser consumido.

Legislação

Para conter os perigos que a acrilamida pode oferecer, Fernanda observa que é importante a elaboração de um código de práticas, para que as empresas do ramo alimentício cumpram uma série de regras e reduzam a chance de substância ser encontrada em níveis elevados nos alimentos.

- Tudo depende do processo de fabricação. O que percebemos hoje é uma falta de homogeneidade, algo que é fruto da ausência de critério na preparação desses produtos. Há marcas que chegam a oferecer alimentos com quantidade exageradamente maior que seus concorrentes – observa.

Confira os produtos com mais acrilamida (em micrigramas por quilo do produto)

Batata Chips

Ruffles: 243

Pringles: 256

Qualitá: 264

Bom Preço: 289

Carrefour: 317

Stax: 765

Batata Frita

Bob ‘s: 100

Burguer King 100

Giraffas: 100

McDonald’s: 265

Habib’s: 496

Biscoito Cream Cracker

Richester: 210

Piraq uê: 225

Triunfo: 247

Adria: 288

Bom Breço: 300

Marilan: 420

Mabel: 448

Biscoito Doce

Passatempo: 100

Piraquê: 215

Marilan: 368

Trakinas: 519

Bauducco: 538

Bono: 707

Adria: 1.110

Biscoito Salgado

Club Social: 526

Minuto: 690

Marilan Pit Stop: 904

Nestlé Nesfit: 1.060

Pão francês

Carrefour: 111

Futurama: 126

Pão de Açúcar: 136

Wall Mart: 168

Sonda: 169

Hirota: 195

Pastorinho: 197

Dia: 205

Extra: 225

Salgadinho

Cheetos: 100

Torcida: 100

Fandangos: 100

Doritos: 100

Yokitos: 117

Pingo d’ouro: 393

Torradas

Visconti: 102

Magic Toast: 149

Wickbold: 192

Parati: 200

Bauducco: 202

Plus Vita: 244

 

 

Fonte: O Globo

Compartilhar: