O placar chapa-branca

Rápida incursão nos resultados das pesquisas de intenção de voto para o Palácio do Planalto. Coincidem os índices apurados por…

Rápida incursão nos resultados das pesquisas de intenção de voto para o Palácio do Planalto. Coincidem os índices apurados por grandes e médios institutos de opinião. Os mais próximos são os do Datafolha e Ibope. Fosse hoje a eleição, Dilma Rousseff (PT) seria reeleita no primeiro turno. A soma dos números não tem nada de surpreendente.

Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), principais desafiantes da presidente da República, têm opinião semelhante sobre os levantamentos realizados neste trimestre. Os pontos percentuais retratam o momento, traduzem a realidade do instante das entrevistas, dizem. Neves e Campos consideram normal que a senhora Rousseff lidere as sondagens.

Lembram, porém, que a eleição será dia 5 de outubro. Até lá, o eleitor terá mais de seis meses para acompanhar os debates, comparar os programas de governo dos vários postulantes e, enfim, avaliar para decidir em quem votar.

Em verdade, os candidatos da oposição pouco sensibilizam sua majestade – o eleitor. Inclua-se na lista um terceiro nome: Randolfe Rodrigues (PSPL), o mais jovem dos pretendentes. Com 41 anos, o professor de História nascido em Garanhuns (PE), duas vezes deputado estadual no Amapá, cumpre (e bem) o primeiro mandato de senador em nome do estado nortista.

Aposta é elevada O DEM ambiciona eleger 40 de deputados federais, em outubro. É possível o sucesso do projeto; provável, não. Na Câmara, são 28 cadeiras sob a bandeira da sigla. Minas Gerais e São Paulo têm as maiores bancadas. Cada uma com cinco integrantes. nnn Bahia, hoje titular de três mandatos, é o estado mais promissor para ampliar o contingente democrata na Casa. Na terra de todos os santos e todas as cores, atua liderança partidária em ascensão: Antonio Carlos Magalhães, neto (foto), prefeito de Salvador. nnn Pós-escrito: Se o Democratas participar da aliança potiguar do voto proporcional coordenada pelo PMDB, reelegerá seu solitário filiado no grupo dos oito representantes do Rio Grande do Norte: Felipe Maia.

Escorrego no óleo

Batismo à altura da combustão espontânea: operação fracasso.

Assim analisa-se, nas duas casas do Congresso, a estratégia palaciana para explicar (?) a aquisição, há oito anos, da refinaria de petróleo em Passadena, no oeste dos Estados Unidos.

Dilma Rousseff, ao abordar a questão em nota oficial – iniciativa criticada, nos bastidores, por Lula da Silva, e por dezenas de parlamentares -, ampliou a crise.

Mais do que isso, colocou na pauta da campanha eleitoral antecipada a fragilidade administrativa e a insensibilidade política da presidente em busca do segundo mandato.

– Telefonema da presidente da República o líder do PMDB na Câmara não tem recebido. De ministros de Estado, o ‘rebelde’ Eduardo Cunha perdeu a conta. Quem lidera as discagens é o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

– A ministra Marta Suplicy (PT-SP) pretende levar Sérgio Braune Solon de Pontes para a pasta da Cultura. O plano dela é fazê-lo secretário executivo.

– Os presidentes da Câmara e do Senado trabalham contra a criação da CPI da Petrobras. Mais um débito da senhora Rousseff registrado na contabilidade político-eleitoral dos dois peemedebistas.

– Jandira Feghali (PCdoB) é candidata ‘pro tempore’ a governadora do Rio de Janeiro. A deputada desiste se o PT tiver “boa proposta” a fazer aos comunistas fluminenses. Vaga na chapa majoritária, por exemplo.

– Walter Alves está com jeito de quem se prepara para trocar a Assembleia Legislativa pela Câmara Federal. Depende, apenas, de confirmação da candidatura de Henrique Eduardo, seu primo em segundo grau, ao governo norte-rio-grandense.

– Fique atento: analistas de instituições privadas confessam-se reticentes quanto à eficiência das medidas anunciadas pelo governo central para sanar a crise de energia.

– Começa a ser rotina. Ontem, na capital paraense, a presidente da República ouviu, fisionomia sombria, mais uma vaia. Foi forte, mas não longa. Esteve na cidade para anunciar investimentos do PAC Mobilidade.

– Para refletir: “A arte não tem limite” (Nanda Costa, atriz brasileira).

Compartilhar: