O que estresse tem a ver com cabelos brancos? Nada! Assegura nutrólogo

Cabelo branco é herança dos seus pais, transmitida geneticamente, e não há calmante que resolva isso

Esqueça essa história de uma vez por todas. Segundo o nutrólogo Valcinir Bedin, o branqueamento dos cabelos é determinado, principalmente, por herança genética. Isso explica, por exemplo, o fato de jovens que mal descobriram o que é preocupação, às vezes, já apresentarem fios brancos misturados à farta cabeleira.

O que o estresse pode provocar, isto sim, é uma aceleração no processo de envelhecimento. Nesse caso, cabelos grisalhos, que deveriam surgir numa fase mais avançada da vida, aparecem antes do previsto. “Pessoas que passam por um período de estresse de 2 a 3 anos ficam com os cabelos grisalhos mais rapidamente”, diz o americano Tyler Cymet, diretor de medicina familiar do Hospital Sinai, em Baltimore, nos EUA. Talvez seja essa a explicação para a cabeça predominantemente branca de muitos presidentes da República ao final de um mandato, mas a tese ainda carece de comprovação científica.

Outro reflexo do processo acelerado de envelhecimento é a calvície precoce, que também pode levar à predominância de cabelos brancos. “O caso clássico é o de Maria Antonieta”, afirma Bedin. Ao saber que seria guilhotinada no calor da Revolução Francesa, em 1789, a rainha teria ficado inteiramente grisalha de repente. Para o nutrólogo, a condição de estresse agudo a que ela foi submetida na véspera da execução talvez tenha levado à queda de todos os seus fios de cabelo pretos (mais finos e vulneráveis), restando-lhe apenas os brancos num curto espaço de tempo.

DGHRTH

 

Fonte: Revista Superinteressante

Compartilhar: