OAB/RN cobra investigações do atentado a escritório de advogada em Ipanguaçu

Conforme o delegado, as investigações estão em andamento, já foi instaurado inquérito e o caso será tratado como prioridade

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte, Sérgio Freire, esteve reunido com o Delegado Geral de Polícia Civil do Estado, Adson Kepler Monteiro Maia, na tarde desta quinta-feira (26), juntamente com a advogada Rayssa Maria Gonzaga Fonseca, para solicitar celeridade na apuração do atentado sofrido por ela em seu escritório que foi atingido por tiros de arma de fogo na madrugada do domingo para a segunda-feira (16), no município de Ipanguaçu.

Na reunião, Freire relatou a situação vivida por Rayssa Fonseca e destacou a necessidade de celeridade na punição dos envolvidos. “A advocacia está entristecida com esse episódio de violência. Atentar contra um advogado gera preocupação em  toda uma classe, pois é nosso direito exercer a profissão com liberdade. A OAB/RN quer saber, o mais breve possível, quem foi o responsável por esse atentado, bem como sua punição”.

Conforme o delegado, as investigações estão em andamento, já foi instaurado inquérito e o caso será tratado como prioridade. “Temos o advogado como indispensável à administração da Justiça, se esse caso não for solucionado com celeridade, se abre precedente para outros, o que poderá gerar consequências negativas para o bom andamento da Justiça e da própria Polícia.  O assunto será tratado como prioridade pela equipe de investigação”, informou Adson Maia.

Também participou da reunião a Delegada Geral Adjunta Maria do Carmo.

A OAB/RN designou Comissão Especial para acompanhar o inquérito, provocando, inclusive, o Conselho Federal para que atue conjuntamente no caso. São integrantes da Comissão os advogados Tarcísio de Miranda Monte Filho, Paulo Cesário de Lucena Targino, Diego Meira de Souza e Frederico Rodrigues da Silva.

Compartilhar:
    Publicidade