Obra de recuperação da Av. João Medeiros Filho deverá se estender até 6ª

Chuva e ligações clandestinas à rede de drenagem podem ter influenciado na formação da cratera

Empresa contratada para realização da obra em caráter de urgência deu prazo máximo de 30 dias para conclusão do serviço. Foto: Wellington Rocha
Empresa contratada para realização da obra em caráter de urgência deu prazo máximo de 30 dias para conclusão do serviço. Foto: Wellington Rocha

Carolina Souza

acw.souza@gmail.com

Até a próxima sexta-feira (21) o trânsito da Avenida João Medeiros Filho, estrada da Redinha, poderá estar comprometido no sentido que se estende da zona Norte ao Centro de Natal. Parte da via precisou ser interditada para a recuperação de uma cratera aberta no último dia 14 de março em função das fortes chuvas que caíram na capital potiguar nesta semana e de ligações clandestinas de redes de esgoto.

De acordo com o engenheiro encarregado pela obra, Jarbas Cavalcanti, que representa a empresa Tecnopav – contratada por dispensa de licitação em caráter de urgência – foi dado um prazo de 30 dias para conclusão do serviço. “Demos esse prazo considerando a possibilidade de incidência de chuvas nos próximos dias, o que impediria o andamento da obra. Mas se tudo ocorrer conforme planejado, em uma semana deveremos liberar o trecho. Nossa pretensão é entregar tudo até sexta-feira”, destacou.

Segundo diagnóstico levantado pela equipe de engenharia responsável pelo serviço, as ligações clandestinas de esgoto à rede de drenagem que passa por baixo da avenida contribuíram para a abertura da cratera. “Ao longo das tubulações da drenagem identificamos algumas ligações clandestinas de esgoto. Dejetos e outros tipos de composições químicas deterioram a rede, fragilizando a estrutura. Com a chuva que deu nesses dias, a situação piorou e a estrutura se rompeu”, explicou Jarbas Cavalcanti.

A Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi) fez uma previsão de liberar a avenida em um prazo de três a quatro dias, o que não deverá ocorrer segundo estudo da Tecnopav. “Eles nos solicitaram liberação de uma faixa do trecho interditado até quarta-feira (19) para não prejudicar muito o trânsito, mas digo que não será possível, pois corremos o risco de prejudicar o serviço. Queremos liberar o trecho todo de uma única vez”, disse.

Quem trafega na região deverá desviar do trecho interditado pela Rua Santa Luzia, esquina da agência da Caixa Econômica, seguindo pela Rua Dra. Isabel de Brito Lima, que dá acesso à Avenida João Medeiros Filho. O subtenente da polícia de trânsito, Marcelo Félix, orienta que os motoristas utilizem o acesso ao centro da cidade pela Ponte Newton Navarro para evitar o congestionamento no acesso ao túnel naquela região. “Estamos com agentes isolando a área e desviando o fluxo de trânsito para quem vai em direção ao túnel, entrando pela Rua Inácio Loyola e Tomaz Landim”, afirmou o subtenente.

O comércio que fica próximo à interdição do trecho não deverá ser prejudicado nesses próximos dias, tendo em vista que os carros não costumam estacionar na área. Entretanto, a comerciante Edineusa Gomes, que trabalha no mesmo ponto há cinco anos, disse que o problema na Avenida João Medeiros Filho é recorrente.

“Essa é terceira vez que eu presencio abertura de cratera. Graça a Deus não tivemos nenhum prejuízo para nosso comércio e ninguém saiu ferido. Mas nas últimas vezes alguns colegas sofreram com as crateras, que chegaram a causar rachaduras em suas lojas. Esse problema só irá acabar quando o serviço for bem feito. Nada feito nas pressas saí bem feito”, disse.

Compartilhar:
    Publicidade