Obras de recuperação do Viaduto do Baldo progridem lentamente

Na manhã de hoje, um pequeno número de operários estava presente no local; Tragédia recente em viaduto de Belo Horizonte causa medo de quem passa pela região

Viaduto-do-Baldo-HD---(16)

As obras de recuperação estrutural do viaduto do Baldo estão em andamento, mas quem habitualmente circula pelas proximidades do canteiro de obras observa poucos operários trabalhando. Por outro lado, a tragédia ocorrida na semana passada em Belo Horizonte, quando um viaduto caiu e matou duas pessoas, também reacendeu o medo de quem tem o baldo na sua rota diária.

Para quem tem que trabalhar exatamente sob o viaduto, o medo torna-se um companheiro de trabalho. É o caso da fiscal de transporte alternativo Nice Barbosa. Ela monitora o horário em que os veículos passam na parada embaixo do viaduto. O seu expediente vai das 7h às 13h.

O receio da fiscal foi despertado pelo desabamento de um viaduto na capital mineira. “Depois daquela história lá em Belo Horizonte, às vezes eu fico com medo, mas já estou acostumada”, desabafou. No caso do Baldo, o medo é duplo, visto que a laje também precisará passar por uma reforma. “Já faz tanto tempo que construíram que está precisando mesmo de uma reforma. Mas dizem que o problema maior está na parte de baixo”, comentou.

Em maio deste ano, as avenidas Rio Branco e Marechal Deodoro da Fonseca foram interditadas depois de uma ação da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente na justiça estadual. O motivo seria o comprometimento da laje do canal do baldo que passa sob as principais vias do centro da cidade.

Com o escoramento de toda a laje com pontaletas de metal, as vias foram novamente liberadas. A partir daí as obras também foram retomadas definitivamente. Mas parece que o ritmo não é tão acelerado quanto foi o das obras de mobilidade urbana no entorno da Arena das Dunas. Hoje pela manhã, uma dúzia de operários, no máximo, trabalhavam no local.

O taxista Jutson Soares trabalha pela região central da cidade há 25 anos. Para ele, o receio nunca terminou, mesmo com o escoramento da estrutura do canal. “Acho que o perigo é ali embaixo”, opinou. Para ele, a lentidão da obra pode ser por falta de repasses da Prefeitura para a empresa responsável, a BMB Construções Ltda.

Alguns buracos foram abertos no asfalto do viaduto para realizar intervenções, mas aparentemente o equipamento urbano ainda não passou por muitas alterações. O prazo para a finalização da obra de reestruturação do viaduto e do canal do baldo é dia 18 de dezembro deste ano. O valor total da obra é de R$ 1.790.242,29, preço maior em relação ao projeto inicial, que teve modificações.

O viaduto do Baldo está interditado para o tráfego desde outubro de 2012 a pedido do Ministério Público Estadual. A nossa equipe de reportagem tentou entrar em contato telefônico com o secretário titular de Obras Públicas e Infraestrutura, Tomaz Neto, e o secretário adjunto de Obras, Caio Múcio Pascoal, para esclarecer sobre o andamento da obra, mas não foi possível.

Compartilhar:
    Publicidade