Obras no prolongamento da Prudente de Morais seguem em ritmo lento

Mesmo com poucos trabalhadores, previsão é que via seja liberada até final de maio

Obras-no-prolongamento-da-Prudente-WR

A promessa mais recente era que o prolongamento da Avenida Prefeito Omar O’grady (prolongamento da Prudente de Morais) seja liberada para o tráfego até o final de maio. Mas pelo ritmo das obras, a probabilidade de iniciar a Copa do Mundo sem o prolongamento é grande. A obra tem o objetivo maior de desafogar a BR 101 com mais uma opção de ligação entre Natal e Parnamirim.

Quem atesta a percepção de que a obra não está a toda força são pessoas que passam pelo trecho todos os dias e até mesmo de quem trabalha por lá. Mesmo com impedimentos físicos para o tráfego, motocicletas e bicicletas andam livremente pela via ainda inacabada. Uma dessas pessoas é o pedreiro Antonio Gomes da Silva.

Ele é morador do bairro Cidade Satélite e encontrou atalho para ir a feira do Parque Industrial em Parnamirim aos domingos ou mesmo para ir trabalhar no meio da semana. “Eles trabalham muito lento. Essa semana foi só esse “servicinho'”, disse, apontando para a construção e acabamento de meio-fio.

Um dos trabalhadores no local confirmou que esta semana o serviço está “praticamente parado”. Neste sábado (12) pela manhã, acerca de 20 operários estavam em campo realizando intervenções no meio-fio. Próximo a rotatória que leva para o bairro de Cidade Satélite (onde a obra começa), várias máquinas estavam paradas e somente uma pequena faixa da camada final do asfalto estava implantada.

Um servente de pedreiro, que também trabalha como vigia, deu outra versão. “Como ontem foi dia de pagamento, a maioria do pessoal voltou para o interior”, declarou Rogério da Silva. Ainda segundo ele, todo mundo estava trabalhando normalmente durante a semana. “Faz quase um mês que a gente trabalha de domingo a domingo”, acrescentou.

A justificativa dada para que a liberação da via seja adiada por diversas vezes são as chuvas. A reportagem tentou contato telefônico com o diretor-geral do Departamento Estadual de Estradas e Rodagem do Rio Grande do Norte (DER/RN), Demétrio Torres, mas não obteve sucesso. Em 28 de maio do ano passado, em entrevista concedida a`O Jornal de Hoje, Demétrio declarou que estava próximo da conclusão da obra, faltando apenas um trecho com menos de um quilômetro. Segundo o diretor geral do DER, “acreditamos que quando a chuva cessar logo em seguida entregaremos à população.” Ele afirmou também que 15 dias seriam suficientes para o término da obras, logo que as chuvas acabassem as chuvas. Passado quase um ano após estas declarações, o tãoe sperando fim das obras ainda parecer estar longe do fim.

Pendências com o Ministério Público e de ordem contratual com as empresas também já foram motivo para os atrasos. A obra no prolongamento da Avenida Prudente de Morais se arrasta desde 2007. A primeira licitação tinha o valor de R$ 27 milhões e previa apenas duas passagens de nível em Cidade Satélite. Mais dois túneis foram incluídos e a obra passou a custar R$ 59 milhões.

Compartilhar: