Obrigatoriedade do uso de simuladores é prorrogada no RN

Detran garante que falta do equipamento não impedirá novas habilitações

O uso de simuladores de direção  na formação de condutores para a categoria B no Brasil é obrigatório desde 1º de janeiro deste ano. Foto: Divulgação
O uso de simuladores de direção
na formação de condutores para a categoria B no Brasil é obrigatório desde 1º de janeiro deste ano. Foto: Divulgação

Carolina Souza
acw.souza@gmail.com

Novos processos para procedimento de retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) estão sendo feitos normalmente e o preço do serviço ainda não irá mudar. A garantia é da subcoordenadora da Controladoria de Trânsito do Detran-RN, Márcia Marques. Ela destaca que não houve mudança no procedimento, apesar de já estar em vigor a nova resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que determina o uso de simuladores de direção na formação de condutores para a categoria B no Brasil a partir de 1º de janeiro deste ano.

Márcia explica que, no Rio Grande do Norte, nenhuma das 89 autoescolas ativas implantou o equipamento. A justificativa para isso, realidade comum em boa parte do país, é a demora para aquisição do simulador. “A exigência do simulador ainda não pode existir simplesmente porque a maioria das autoescolas do país ainda não comprou o equipamento. Por isso, até os primeiros 90 dias do ano – prazo dado pelo Contran para adequação da nova norma – o preço para aquisição da CNH continuará o mesmo”, destacou.

A subcoordenadora da Controladoria de Trânsito do Detran explicou ainda que a dificuldade no fornecimento do equipamento é que existem apenas quatro empresas credenciadas pelo Contran para distribuir o simulador a todas as autoescolas do país. “Além disso, observamos que alguns Centros de Formação estão sem condições físicas para adquirir o equipamento, já que é necessário um espaço adequado para instalação do simulador”, disse.

Em comunicado enviado ao Detran, o Conselho Nacional de Trânsito informou que, por enquanto, a adição de categoria e os reinícios de processos vencidos não vão precisar ter aulas com o novo aparelho como uma das etapas para a conclusão do procedimento. A mudança já foi habilitada no sistema do Departamento. “Os processos abertos no início do ano, que exigiam o curso com simulador, não tem mais validade. Mas isso não significa que a nova norma deixará de existir. É necessário apenas um tempo para que todos os simuladores sejam adquiridos e entregues”, afirmou Márcia Marques.

A partir do dia 21 de janeiro, o Departamento Nacional de trânsito (Denatran), a Associação Nacional dos Detrans (AND) e a Federação Nacional de Autoescolas e Centros de Formação de Condutores (Feneauto) iniciam visitas em todos os estados para acompanhar e avaliar a implementação da Resolução 444/2013, que trata das normas e procedimentos para a formação de condutores de veículos automotores e elétricos.

A nova regulamentação coloca que as aulas realizadas em simuladores de direção veicular serão de cinco horas aulas de 30 minutos cada, ministradas após início das aulas teóricas e antes da expedição da Licença para Aprendizagem de Direção Veicular – LADV.

Custo para retirar CNH pode subir até 20%

A nova regra, quando for de fato aplicada, poderá elevar em até 20% o valor gasto na emissão da CNH. Antes da mudança, o interessado em obter a permissão para dirigir tinha que desembolsar, em média, R$ 1,2 mil, segundo a Federação Nacional das Autoescolas. O valor inclui taxas do Detran e aulas teóricas e práticas nas autoescolas. Com a alteração, esse valor deve subir cerca de R$ 250 a R$ 300.

As aulas simuladas não terão caráter eliminatório. O Detran receberá um relatório através do sistema implantado pela autoescola com os resultados do aluno, mas não haverá uma avaliação. A ideia do simulador é permitir que o estudante se familiarize com situações de risco. A simulação começa com conceitos básicos e vai incorporando situações de adversidade, como trafegar em vias de grande movimento, em pista escorregadia ou sob neblina intensa.

Compartilhar: