Onze cambistas já foram presos em Natal durante a Copa do Mundo

Dezenas de ingressos para Japão e Grécia foram apreendidos com cambista

Foto: Ilustração
Foto: Ilustração

A Copa do Mundo em Natal tem sido considerada tranquila pelos órgãos que fazem a segurança do município durante o Mundial. Quem mais tem trazido “dor de cabeça” para os policiais são os cambistas. O saldo final após os três jogos realizados na capital potiguar contabiliza 11 presos por esse tipo de crime.

O caso que mais chamou atenção das autoridades aconteceu exatamente antes da partida entre Grécia e Japão, que aconteceu nessa quinta-feira (19). Um grego identificado como Constantinus Mamiras foi detido com cerca de 300 ingressos para o duelo de ontem e para jogos em Fortaleza. Ele alegou que trabalha com agência de turismo e estava repassando os ingressos de forma legal. Como ele estava representando um órgão particular e a Lei Geral da Copa proíbe que qualquer empresa não credenciada pela Fifa faça essa venda, o turista foi autuado por contravenção.

Também nessa quinta, pai e filho dinamarqueses também foram abordados pelo mesmo motivo. Segundo a Polícia Militar, o filho estava com pelo menos cinquenta ingressos e por isso somente ele deve ser autuado. Além deles, dois alemães e um japonês também foram presos por tentarem vender ingressos acima do valor original.

No dia 13, antes do jogo México e Camarões, quatro mexicanos foram presos pela Polícia Rodoviária Federal suspeitos de venderem ingressos no entorno da Arena das Dunas. No mesmo dia, a Polícia Militar prendeu um camaronês também tentando vender as entradas a preços abusivos. Já no dia 16, pouco antes de a bola rolar para Gana e EUA, a PRF deteve um americano suspeito de cometer a mesma infração.

No Fifa Fan Fest a situação também tem sido calma. Segundo dados da Prefeitura do Natal, pelo menos 30 mil pessoas passaram pelo local do evento nos sete primeiros dias que ele aconteceu. Durante esse período, a Polícia Civil afirmou que foram registrados, ao todo, cinco furtos e quatro perdas de documentos. A segurança do evento é feita por quase 500 homens, entre policiais militares, agentes da Força Nacional de Segurança e seguranças privados, além de 40 bombeiros. Uma delegacia móvel da Polícia Civil com 10 policiais por turno, sendo seis policias civis e quatro da força nacional, além de dois delegados, também garantem a tranquilidade para os torcedores que vêm conferir o festival.

“Está tudo ocorrendo como planejado. Os dias mais temidos para a segurança pública eram os dois primeiros jogos, mas nada fugiu do nosso controle e esperamos ainda mais tranquilidade no decorrer da Copa do Mundo em Natal”, afirmou o delegado Luiz Lucena, que comanda a Polícia Civil na área interna e externa ao evento.

Compartilhar:
    Publicidade