Organização Mundial de Saúde Animal declara RN livre da aftosa

Além do RN, a doença foi considerada erradicada em Alagoas, Maranhão, Paraíba, Ceará, Piauí, Pernambuco e o norte do Pará

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu nesta quinta-feira (29) o Rio Grande do Norte como área livre da febre aftosa com vacinação, durante a 82ª Seção Geral da Assembleia Mundial de Delegados, realizada em Paris, França. Além do RN, a doença foi considerada erradicada em Alagoas, Maranhão, Paraíba, Ceará, Piauí, Pernambuco e o norte do Pará.

A Assembleia de Delegados teve início no dia 25 e terminará nesta sexta-feira, dia 30. No evento, foram abordados temas relacionados às principais doenças de animais no intuito de garantir a transparência da situação sanitária no mundo, assim como a segurança no comércio mundial de animais e seus produtos.

“Trabalhamos intensamente em conjunto com todos os técnicos da Secretaria de Agricultura e para nós é um orgulho imenso fazer o Rio Grande do Norte conquistar esse reconhecimento”, comemorou a Governadora Rosalba Ciarlini ao ser informada da declaração. “Com o RN Sustentável, que foca, entre outras cadeias, no apoio às atividades da agropecuária, vamos incentivar ainda a economia no campo”.

A mudança de status veio após cinco anos e começou ainda em 2013, em maio, quando o estado concluiu o inquérito soroepidemiológico e foi reclassificado nacionalmente como zona livre da aftosa com vacinação. Com o anúncio desta manhã, o RN cumpre a expectativa do organismo internacional de ser reconhecido fora do Brasil como livre da doença.

Com o reconhecimento obtido pelos oito estados nesta quinta-feira (29) junto à OIE, sobe para 210 milhões o total de animais que estão em zonas livres de febre aftosa, ou seja, aproximadamente 99% do rebanho nacional de bovinos e bubalinos em 78% do território brasileiro. O governo investiu R$ 80 milhões em ações de sanidade animal, nos últimos quatro anos nessas regiões.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, afirmou que agora o foco será a ampliação do mercado externo, e que pretende ampliar o acesso da carne suína e de aves no exterior. O titular da pasta acrescentou que a agroindústria está forte e que o Brasil tem um cenário ideal para garantir mais participação na Rússia e no mercado asiático.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e da Pesca, Tarcísio Bezerra Dantas, o reconhecimento da OIE coloca o RN, assim como os outros estados, em um novo nível. “Nós encaramos isso como uma grande vitória da agropecuária estadual e um coroamento de um trabalho que vem sendo realizado há algum tempo. A partir de agora entramos em outro patamar da agropecuária. A Festa do Boi de 2014, que no ano passado ocorreu com o estado com área livre de aftosa com vacinação, será um grande sucesso, já que os animais do Brasil poderão circular livremente para qualquer tipo de atividade”, observou.

O Brasil possui agora 23 estados e o Distrito Federal reconhecidos internacionalmente como livres de febre aftosa com vacinação e Santa Catarina continua sendo o único livre da doença sem vacinação. O próximo passo é alcançar a meta de um país totalmente livre da aftosa. Para isso o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) realiza um trabalho conjunto com os governos estaduais e a iniciativa privada para que Amapá, Roraima e Amazonas também sejam reconhecidos.

 

Compartilhar: