Orgia que aconteceu em universidade federal pode ter sido apenas “teatro”

Professor diz que imagens não são reais, mas Polícia Federal mantém investigação

O chefe de Artes e Estudos Culturais da UFF, Daniel Caetano, disse que as imagens fazem parte de uma encenação teatral. Foto: Divulgação
O chefe de Artes e Estudos Culturais da UFF, Daniel Caetano, disse que as imagens fazem parte de uma encenação teatral. Foto: Divulgação

A PF (Polícia Federal) está investigando um grupo de alunos da UFF (Universidade Federal Fluminense), em Rio das Ostras, que foi denunciado por suposto uso de drogas e álcool.

Imagens divulgadas nas redes sociais também deram a entender que os estudantes praticaram orgias e rituais satânicos em um evento chamado  ”Xereca Satânik – A Festa”. A atividade foi organizada em um polo da universidade, na semana passada.

Na última terça-feira (3), o professor e chefe de Artes e Estudos Culturais da UFF, Daniel Caetano, disse que as imagens não são reais e que fazem parte de uma encenação teatral.

Segundo ele, o  grupo de atores não estava praticando orgias, mas participou da festa onde “nenhum crime foi cometido”. O docente também reforçou que considera a censura inaceitável.

Em nota oficial publicada no site, a UFF destacou que “não compactua com qualquer tipo atividade que, desvirtuando de sua essência institucional, extrapole os limites do razoável, atentando aos valores da liberdade e igualdade, ou ofendendo a dignidade da pessoa humana”.

Leia a nota na íntegra:

COMUNICADO 

Conforme amplamente divulgado pela mídia impressa e televisiva, no dia 28 de maio de 2014, quarta-feira, ocorreu um evento no Polo Universitário de Rio das Ostras (Puro) da UFF, que gerou um grande número de críticas e denúncias de ilegalidades. 

A Universidade Federal Fluminense (UFF), por meio de sua Direção Central, não compactua com qualquer tipo atividade que, desvirtuando de sua essência institucional, extrapole os limites do razoável, atentando aos valores da liberdade e igualdade, ou ofendendo a dignidade da pessoa humana.

Desta forma, visando a contribuir com as investigações em curso, sem prejuízo de outras medidas administrativas ou judiciais a serem adotadas, solicita-se àqueles que, de alguma forma, tenham presenciado possíveis ilegalidades cometidas junto ao espaço público da universidade, que entrem em contato com a Ouvidoria da UFF através do e-mail <ouvidoria@uff.br>, pelo telefone (21) 2629-5225, ou no endereço Rua Miguel de Frias, 9, 3º andar, Icaraí, Niterói, de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h, e forneçam informações que possam contribuir para a apuração precisa dos fatos.   Sidney Luiz de Matos Mello  Vice-Reitor no Exercício da Reitoria.

Fonte: R7

Compartilhar: