Orlando City confirma que pagará metade do salário de Kaká no São Paulo

O dono do maior salário no São Paulo hoje é Rogério Ceni, que embolsa R$ 700 mil

Kaká vai deixar o Milan sem custos, devido a uma cláusula no contrato com os italianos. Foto: Divulgação
Kaká vai deixar o Milan sem custos, devido a uma cláusula no contrato com os italianos. Foto: Divulgação

Carlos Miguel Aidar assumiu a presidência do São Paulo, em abril, com dois sonhos: cobrir o Morumbi e contratar Kaká. O primeiro, que parecia encaminhado, subiu no telhado. Já o segundo, que tinha tudo para não dar certo, deve ser anunciado a qualquer momento.

Kaká está sendo contratado em definitivo pelo Orlando City, dos Estados Unidos. Vai assinar um contrato longo, de pelo menos três anos, mas só fará sua estreia na Major League Soccer a partir do ano que vem. Isso porque o Orlando City topou emprestá-lo por seis meses ao São Paulo.

E o Tricolor ainda terá a ajuda dos americanos para pagar metade dos salários de Kaká ao longo da temporada — o meia exigiu manter os R$ 2,6 milhões mensais para bater o martelo com o Orlando.

Kaká também terá direito a uma bolada em dinheiro pela assinatura do contrato. Afinal, o clube dos Estados Unidos está o tirando de graça do Milan, da Itália, em razão de uma cláusula contratual que previa a possibilidade de rescisão caso o time não se classificasse para a Liga dos Campeões.

O próprio presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, já fala com otimismo da aquisição de Kaká. “Estamos caminhando bem”, disse.

Namoro antigo

O São Paulo tenta repatriar Kaká há pelo menos dois anos. Nas últimas quatro janelas de transferências, o auxiliar-técnico do clube, Milton Cruz, fez contato com o jogador.

O grande problema era sempre o alto salário. Desta vez, além de contar com a ajuda do Orlando City, Aidar ainda buscou parcerias com empresas que dividirão os custos com os salários. Caberá ao Tricolor bancar cerca de R$ 1,3 milhão por mês, ou seja, R$ 7,85 milhões até o fim do ano.

O dono do maior salário no São Paulo hoje é Rogério Ceni, que embolsa R$ 700 mil. Aidar só começou a levar a sério a possibilidade de recontratar Kaká depois que o meia fez uma visita ao CT da Barra Funda, assim que entrou em férias. Na oportunidade, Kaká admitiu vontade de voltar.

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade