Os itens sublinhados – Walter Gomes

Registrem-se três detalhes do cansativo debate de ontem à noite dos candidatos ao Palácio do Planalto, na rede Band de…

Registrem-se três detalhes do cansativo debate de ontem à noite dos candidatos ao Palácio do Planalto, na rede Band de tevê e rádio. Apesar de bem conduzido pelo jornalista Ricardo Boechat, elegantemente discreto, uma das três horas do programa foi de blá-blá-blá. Levy Fidélix, do nanico PRTB, venceu, como sempre ocorre, o torneio da conversa fiada.

Aos destaques que interessam:

Primeiro: a confirmação do disse que disse no mercado financeiro. Na hipótese de se eleger, Aécio Neves designa Armínio Fraga para o Ministério da Fazenda.

Segundo: Dilma Rousseff, titubeante no início, mostrou-se segura adiante. A presidente recandidata, em um ou outro lance, chegou a ser simpática com os que querem lhe tomar o ‘trono’.

Terceiro: Marina Silva colocou a senhora Rousseff nas cordas quando repetiu o que Eduardo Campos dizia: “O Brasil vai ser recebido pelo presidente eleito em condições piores do que foi entregue à sucessora de Lula.”

 

Sufoco pra valer

Em Minas Gerais, o PSDB está em dificuldade.

Fernando Pimentel (foto), candidato do PT a governador, coloca 14 pontos de vantagem sobre Pimenta da Veiga, o adversário tucano.

O placar, conforme o Ibope: Pimentel, 37%; Veiga, 23%.

Antonio Anastasia, ex-governante sob a bandeira da social-democracia, lidera, porém, o embate para o Senado.

Com 46% de apoios, é tido como vitorioso no dia 5 de outubro.

Pós-escrito: No estado, os índices de intenção de voto em Aécio Neves não correspondem às expectativas do tucanato. O postulante à Presidência da República lidera no estado, mas na capital perde para Marina Silva (PSB).

 

Lance de crimes

Grave a revelação do líder do PSDB na Câmara dos Deputados.

Antonio Imbassahy (BA) informa que foi identificado um elo entre o operador financeiro do Mensalão petista, Marcos Valério de Souza, e o doleiro Alberto Youssef, denunciado na operação Lava a Jato.

Imbassahy vai mais longe:

“Há fortes indícios também de conexão com o assassinato do então prefeito de Santo André (SP), Celso Daniel, e outros ilícitos que ligam o PT aos danos causados ao Estado brasileiro.”

 

Foco de irritação

E assim se incentiva a agricultura na República Surrealista dos Trópicos.

Pesquisa da Macrologística aponta o prejuízo dos agricultores por causa do déficit de estocagem.

Neste 2014, eles deixam de incluir na sua contabilidade positiva importância que deve ultrapassar R$ 20 bilhões.

Lembre-se que o governo central anunciara – há 10 ou 11 meses – a liberação progressiva até 2018, de RS 25 bilhões para a construção de armazéns.

 

Leitura Dinâmica

– Hoje, Marina Silva dá entrevista de 15 minutos ao Jornal Nacional, da TV Globo. O telejornal tem perdido público, mas é o de maior audiência no país.

– Mudança de cenário no Pará, informa o Ibope. Está tecnicamente empatada a disputa pelo Executivo. Helder Barbalho (PMDB) é apoiado por 38% dos eleitores contra 37% do governador (recandidato) Simão Jatene (PSDB). Barbalho mantinha ao redor de 10 pontos acima dos indicadores de Jatene.

– O Banco Central confirma. Desde janeiro, sobe o preço do dinheiro para financiar o consumo. Em julho, os juros atingiram 43,2% ao ano. Trata-se do mesmo percentual identificado no mesmo mês de 2011, primeiro ano do governo Rousseff.

– Na corrida ao governo de Pernambuco, cai a diferença favorável a Armando Monteiro, neto (PTB) em relação a Paulo Câmara (PSB). Chegara a 32 pontos – 43% a 11% há um mês. Diminuiu para nove, diz o Ibope. Resultado, conforme o anúncio de ontem do instituto: Armando: 38%; Paulo, 29%.

– Fosse agora o pleito para o governo do Rio Grande do Norte, Henrique Eduardo Alves (PMDB) ganharia sem necessidade de ir ao segundo turno. A cadeira no Senado seria de Wilma de Faria (PSB), sua parceira na chapa majoritária.

– Para refletir: “Se você não está rindo de si mesmo, alguém vai rir de você. Então, tento me antecipar” (Morgan Freeman, ator estadunidense).

Compartilhar:
    Publicidade